domingo, 22 de março de 2009

Galo no Divã: Atlético MG 2 x 1 Villa Nova

(Never stop! Don't stop at the top... - Scorpions)

E a 381 continua metendo medo. E pensar que tive que enfrentá-la hoje sobre ameaça de chuva (que felizmente ficou só na ameaça mesmo) para chegar aqui na terrinha a tempo de acompanhar o certame. Mas não é só a rodovia da morte não. Logo que cheguei pude ver por quase 90 minutos uma zaga que também é de matar. Nosso setor defensivo como um todo é de meter medo até em bicho papão!
Neste momento, a chuva já começou a CAIR. E se o Galo não cuidar da defesa. quando entrarmos no campeonato maior, podemos seguir o mesmo rumo...

O lateral merece. Mas tem uns e outros que o Leão precisa parar de "passar a mão na cabeça". (Foto: UOL)

Juninho: E as bolas na área heim..!?
Werley: Lateral não é sua praia. E quase morreu lá.
(Yuri): Cobriu bem as falhas do setor. Poderia ter entrado antes.
Leandro Almeida: Lento em alguns momentos, importante em outros.
Welton Felipe: Lento em alguns momentos, estabanado em todos.
Júnior: Mal posicionado. Pouco cumpriu a função de origem, tanto que o gol foi pela direita.
Júnior Carioca: Pareceu deslocado no começo e aos poucos melhorou. Temo que não o suficiente para que ele permaneça entre os 11.
Márcio Araújo: Importante para cobrir as deficiências do Werley.
Carlos Alberto: Garra e disposição, mas não foi tão objetivo como em outras partidas.
Renan Oliveira: Mal. Pouco criativo e preciso.
(Tripodi): Entrou querendo mostrar serviço, mas sabe-se lá porque sumiu depois da saída do Éder.
Éder Luis: Movimentou e posicionou muito mal. Perdeu oportunidades de marcar e servir.
(Chiquinho): Destaque da segunda etapa, precisa tomar cuidado só pra não virar fominha.
Diego Tardelli: Tentou voltar muito para resolver de lá de trás. Não o fez nem lá, nem cá.


Leão: Apostou errado em um zagueiro na lateral. Demorou a mexer no time, tanto neste setor, quanto no ataque. E continua apostando muito mal deixando a zaga com aquele cabeça de bagre.

Quem não assistiu, não perdeu nada. A menos que seja viciado em futebol, independente do que os caras fazem em campo. Por pouco não repetimos uma estranha marca que pude presenciar algumas vezes. "É só enchermos a casa que o time dá vexame". Quase...

O time esteve desordenado durante praticamente todo o jogo. O primeiro gol ocorreu quase por acaso. Foi um lance até certo ponto despretencioso. Mas não podemos duvidar da técnica do Júnior que com muita classe (ainda não acredito que tenha sido 'sem querer') encobriu o goleiro adversário.
Com o adversário todo fechado, os alvinegros não souberam o que fazer em campo para furar o bloqueio. É importante lembrar que as marias tem sofrido com isso há três rodadas e com certeza é o tipo de jogo que veremos dos times pequenos na próxima fase. Ou seja: que o Galo aprenda enquanto é tempo!
Por falar em aprender, tem gente que não se emenda. Contando com a lerdeza do Leandro Almeida que deu condições para o atacante do Villa, Welton Felipe completou o serviço com sua lentidão e falta de coordenação para acompanhar o lance. Saldo: empate do adversário.
Bem que a coisa parecia que ia piorar. Mas, fazendo nãda mais do que a obrigação, em um lance novamente meio acidental, voltamos à frente no placar. A cobrança de falta do Chiquinho não encontrou nenhuma cabeça santa do galo no caminho.... mas passou por um monte de cabeça de bagre da defesa quase rebaixada do Villa. Aí foi parar mesmo no fundo das redes.

Primeiro lugar na tabela. No campeonato mineiro significa: estamos na frente do rival. E só. E devemos lembrar que em 10 rodadas, passamos 9 abaixo na classificação. E não ganhamos deles. Então, só pra não deixar esquecer: Não vamos nos iludir com isto. Tem muita coisa pra melhorar. Pra manter o básico (os pontos) e fazer as lições de casa que deixamos para trás...

6 comentários:

Jason Urias disse...

Eu já não sei qual seria o motivo da miopia aguda do Juba quanto ao futebol do Welton Felipe. Não é possível, em hipótese alguma, que ele acredite que o WF está produzindo algo na zaga alvinegra, que está mal por completo (como o Gus vem chamando a atenção).

Eu não consigo entender esta insistência dele em deixar um zagueiro que troca as pernas pra correr atrás de um adversário; um zagueiro que se acha o Cláudio Caçapa (se o WF tivesse os defeitos desse último já seria melhor do que é); um zagueiro lento, lerdo e lambão.

Bah...

eliana disse...

Não vi e não gostei. Durante o primeiro tempo, tava 'lá fora' bebendo e conversando, como vi que tava 1x0 só, logo imaginei o resto da história. Pra variar, falhas bisonhas do WF, que tá mais pra WC, das quais o Vila, felizmente, só aproveitou uma. Ainda bem que ele estará de fora do próxim jogo. Em tempo, o Guaratinguetá endureceu contra o Verdão, como vai ser o próximo adversário na Copa do Brasil, melhor ir botanto as barbas (e as babas) de molho.

Gus Martins disse...

Pois é. Acabei de pensar nisto também. Os times do interior paulista nem se comparam aos daqui.
Encarar o Guará com a preguiça, lerdeza e falta de criatividade com que o galo se apresentou em - no mínimo - 50% do mineiro, poderá nos colocar como a primeira(?) zebra da Copa do Brasil...

Herberth Mendes disse...

Welton Lambança...Tomara que não, mas tem tudo pra nos complicar em alguma jogo decisivo.

Gus Martins disse...

http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Atletico_MG/0,,MUL1053843-9859,00-JUNIOR+COMEMORA+GOL+SEM+QUERER+E+A+LIDERANCA+DO+CAMPEONATO+MINEIRO.html

Hehe... o próprio Jr. disse que foi sem querer querendo.
Mas isso não muda o que disse sobre a técnica dele... hehe!

Tom disse...

conta do chá...