domingo, 1 de março de 2009

Galo no Divã: Atlético MG 4 x 0 Uberlândia

(Nada de novo debaixo do sol...)

Já estava ficando chato. Cheguei até a pensar que a desagradável repetição sintomática vinha mesmo era de fora, daquele que comanda. Pelo menos ele tratou logo de mostrar que isto não é verdade e de me poupar de dizer mais uma vez aquilo que tenho dito em toda resenha.

Quem sabe estamos diante do novo velho Éder? (Foto: superesportes)


Juninho: Só precisou fazer uma defesa difícil. E fez. Em seguida, tentou complicar um escanteio... (que coisa, não?)
Marcos Rocha: Manteve o nível. Ainda há muito que melhorar.
Welton Felipe: Serginho, Sheslon e Samuel saem com rompimento dos ligamentos. E este sai sentindo SÓ uma dorzinha?
(Werley): Ainda tem que mostrar bola. Mas só a postura em campo lhe garante um lugar melhor do que aaquele que substituiu.
Leandro Almeida: Jogando o básico do seu futebol. Falta muito pra voltar a sua melhor fase.
Júnior: Qualidade imprescindível nos passes, o que há muito tempo faltava no Galo.
Renan: O mesmo de sempre.
Márcio Araújo: Parece que entendeu qual é o seu lugar. Nada de dribles e ataque. Como volante mesmo, se deu bem mais uma vez.
(Yuri): Ainda não entrou totalmente no espírito de equipe. Às vezes quer fazer tudo sozinho.
Carlos Alberto:Deve ter se empolgado com o gol e ficou o tempo todo zanzando a área adversária.
Nesse jogo foi muito importante nos momentos de apagão da zaga.
Éder Luis: Aos poucos vai calibrando (ou trocando? hehe) a chuteira. Está quase lá.
Kléber: Mostrou atitude e boa prsença no começo. Depois foi se perdendo.
(Chiquinho): Em jogo fácil é fácil jogar. Vamos ver nos outros confrontos.
Diego Tardelli: Preciso. Jogou bem e ficou mais perto da área, como sabe fazer melhor, em vez de ir até o meio campo.

Leão: Fez o que tinha que fazer. Continuo discordando da escalação da zaga. O que será que ele vê no WF que não vê no Marcos, Werley e outros que devem ter por lá?

Começo empolgante e avassalador. Nada que diga que é um time de primeira grandeza, mas que mostra como um grande deve tratar um pequeno em casa. Infelizmente, o primeiro tempo durou 15 minutos. Todo mundo que não viu o jogo, deve imginar o porquê. Como o treinador já declarou que sua insatisfação é a mesma que a que temos colocado aqui com frequência, vou deixar esta parte apenas como uma nota. Sem jogo, sem comentários.

Além dos coletivos, sessões de musculação, corridas pelo campo, etc. está na hora do Leão instituir a 'hora do puxão de orelha' nos treinamentos diários. Quem sabe assim, poupam-lhe o trabalho de todo intervalo ter que mandar o time jogar bola? E mais... quem sabe nos poupam o tempo perdido vendo um bando de preguiçoso dando toquinho de lado.

Segundo tempo: Pois é... dependentes disto, os jogadores voltaram novamente pra fazer o que deve ser feito. E fizeram.

Os gols foram bem trabalhados e visualmente muito belos. O trabalho com o ataque tem surtido e feito. Contudo, meus elogios por hoje param por aqui. De resto, o jogo foi dividido entre preguiça/perda de tempo e lição de casa.
Resumo: Nada mais do que a obrigação. Fizeram a lição de casa, com 4 belas pinturas, mas com uma má vontade do cão.

Um comentário:

eliana disse...

Eu 'assisti' pela Itatiaia, acho que assim fica mais empolgante. Fui tomar um banho e quando voltei já tava 2 a 0. Não sei se pela kaiser ou se pelo Willy, fiquei mais entusiasmada. Adversário à parte, os gols foram bem contruídos, de jogadas rápidas, daqueles que deixam a gente rindo de orelha a orelha. Por enquanto é só treino mesmo, entrosar o time e ajustar as peças porque Copa do Brasil, apesar de ter times fraquíssimos, é muito mais difícil que o Mineiro.