domingo, 10 de maio de 2009

Galo no Divã: Avaí 2 x 2 Atlético MG

(Não dá para controlar, não dá. Não dá pra planejar. Eu ligo o rádio e blá blá)

A todas as mulheres atleticanas que, tendo gerado uma criança ou não, ainda assim são mães. Mães pelo amor, que não dispensa cuidados, carinho, controle, limite, atenção, cobrança, exemplo... Ah, mães atleticanas... o que está acontecendo com seu filho alvinegro? Meninos do Galo, por que não trouxeram, pelo menos hoje, algo melhor lá de Floripa? "Tomem Jeito, meninos!"
Empurrado? Apanhou da bola? Tropeçou nas próprias pernas? (Foto: superesportes)

Eu só 'vi' pelo rádio. E agora, os melhores momentos. Então, relevem.

Juninho: Deixa clara a diferença entre um goleiro e um BOM goleiro, que não temos. Não foi culpado, mas...
Welton Felipe, Leandro Almeida, Werley: Fragilidade, desconcentração, desorganização.
(Thiago Feltri): Bem disposto nas investidas ao ataque, mas falta ainda qualidade.
Elder Granja: Pouco efetivo. Acho que está no caminho, mas ainda não se encontrou.
(Carlos Alberto): Aquela hora eu já nem prestei tanta atenção assim... Pelo menos desta vez ele não conseguiu errar outro gol debaixo da meta.
Renan, Márcio Araújo, Fabiano: Sustentam meu argumento que o problema maior está nos volantes. Falta de cobertura, levando os zagueiros a saírem estabanados. Falta qualidade no passe para servir os homens de frente.
(Alessandro): Gol de atacante: limpou, tem que chutar. Será que está pondo o pé na forma e minha língua no forno?
Júnior: Sabe o que fazer com a bola. Quando está no lugar certo. Não acho que funciona como meia.
Éder Luis: Será que me curvarei diante daquilo que outrora chamei de injustiça? Ainda reprovo as vaias, mas que o Éder anda merecendo pelo seu egoísmo, ah, isto sim.
Diego Tardelli: Ainda não compreendeu que a quantidade de gols que fez até hoje ocorreu quando estava bem posicionado.

Celso Roth: Errou no começo. Corrigiu no final.

Primeiro tempo de matar. Segundo, de morrer. Limito-me a duas observações.

Ouvi dizer que as mãos do Roth deram a recuperação ao time pelas mexidas que fez. Discordo. Pra mim, já começou errado e nada fez do que corrigir a bobagem que fez. A 'culpa' é do 3-5-2. Já falei em outros momentos que não sou contra essa formação. Tampouco acho que seja um esquema retranqueiro. (Já usei este exemplo e repito. Esta formação é uma das minhas táticas no videogame para surpreender o adversário e inverter um placar negativo... muitas vezes funciona). A questão é que nós não temos time para jogar nesta formação. 1- Não temos o costume e, portanto, entrosar a zaga de um dia pro outro não é fácil. 2- A zaga já não é confiável. Mudanças desse tipo (já vimos em outros momentos) acabam por piorar as coisas. 3- Time com 5 meio campos precisa ter 5 BONS meio campos. E este também não é o caso. 4- Os laterais precisam ter perfeita clareza da função e competência para executar. O que, sabemos, não houve. Com a volta da formação original, mesmo com o Carlos Alberto improvisado, parece que o time se reconheceu em campo. No começo, a organização do time favorecia muito os acidentes...

E acidentes acontecem. Esporadicamente, em uma situação mais ou menos sem controle, aquilo que não era previsto se impõe de maneira tal que de maneira inevitável acontece uma queda, batida, tragédia, ou qualquer outra situação desagradável a ser colocada no rol dos acidentes. Sim, eles acontecem e temos de conviver com eles. Ao ver os 'melhores' momentos concluí que ambos os gols do Avaí foram como um acidente, daqueles que, numa distração, numa bobeada, e em uma conjunção de passes estranhos a bola chega em seu destino final. Isso seria verdade se fosse a primeira partida do Clube Atlético Mineiro em sua história. Mas não é. A recorrência me faz acreditar que o que existe é despreparo, incompetência, inabilidade, convertidos em sucessivos erros, completamente previsíveis, mas, neste caso, ainda inevitáveis.

De um lado, a fragilidade (ruindade mesmo) da zaga, potencialiada pelo mau posicionamento. Com isso, qualquer bate-rebate é fatal. Isto precisa ser melhorado, porque não temos sofrido pressão de ataques adversários. Temos, sim, tomados gols em lances em que uma boa postura da zaga seria crucial. (lembram dos 4 gols de escanteio?).
De outro lado, a insistência de um atacante em ficar longe da área e de outro em não tocar a bola quando deveria servir o companheiro. (será que é por isso que o artilheiro tenta sair e buscar a bola ele mesmo?). O que acontece é que desperdiçamos vários gols por insistentemente termos alguém que quer fazer o seu antes de pensar no time-

* Lembrando que alguns erram por ruindade. Aí relevo - um pouco. O cara não tem culpa de ser ruim. Por exemplo, os gols perdidos do Avaí. Insistiram e por deficiência tácnica a bola não entrou mais do que aquelas 2 vezes. No caso do Galo, é mais grave. Em meio a algumas ruindades, vemos qualidades de outros. Mas estes outros são mais pecadores porque repetem o 'fazer errado'. Não perdemos gol por não chegar ou por chutar pra fora. Perdemos por não tocar a bola, por chutar quando não se deve, por escolher mal a execução de algo que é executável. Não tomamos gol porque o atacante adversário nos dá um baile. Tomamos porque nos posicionamos errado, porque não estamos ligado no jogo, embora muitas vezes sejamos até menos piores que os adversário. No fim das contas, falhamos porque escolhemos. No frigir dos ovos, tropeçamos em nossas pernas. Mas isto não é novidade nenhuma para vocês, não é mesmo?

- Como se chama mesmo aquele pessoal que é chamado pelas empresas (dentre eles uns psis) para programas de prevenção de acidente?

6 comentários:

Tom disse...

Aos trancos e barranco entendí que
DENTRO DA NOSSA MEDIOCRIDADE:
1) temos um centroavante.
2)ah... se todos corressem igual ao longevo Junior .
3)Marco Rocha tem lugar neste time
4)Fabiano está jogando mal e em posição errada, tem q ser o 5.
6)Eder luis voltou achando que seria o dono do time e tá com má vontade em ser o coadjuvante que sempre foi.
7)Feltri me surpreendeu pela segunda vez
8)Zaga? Quando Welton Felipe vira melhor em campo eu passo mal.
9)Continuamos no apéquenando ao achar q empate com o Hawai é louvável.
10)Roth....pois é , é o Roth.
11) Oremos.

Tom disse...

Ah, acertei na previsão do empate contra o time do Guga, mas foi sem querer...hehe.

Gus Martins disse...

Tom, não poderia ter sido mais preciso ao falar do Éder Luis.
Tá difícil...

Já falei pro Jason... preciso prestar mais atenção e dar um certo crédito ao Feltri, a quem geralmente perdoo menos. (se bem que ontem, pela rádia não tinha como ser mais coerente...)

Também aposto no Rocha pela direita... dando o devido apoio que ele precisa para melhorar na marcação...

eliana disse...

O problema é que os jogadores do Galo têm mostrado uma irregularidade muito grande, assim, quando um tá bem, o outro tá mal, aí o time não 'dá liga'. Pior é que a boa fase de cada jogador tem prazo de validade muito curto. Sei não, acho que tá sobrando psicólogo aqui e faltando no Galo...

eliana disse...

só mãe mesmo para continuar gostando desse filho feio!

Flay disse...

Não passei nem perto de ouvir ou assistir ao jogo. Dessa vez nem no minuto a minuto na net. Já não sei mais o que pensar desse time do Galo. Contra o Vitória o time foi razoável, já contra o Avaí foi mal. Não consigo é parar de pensar que o próximo jogo é contra o Grêmio...