domingo, 27 de setembro de 2009

Galo no Divã: Atlético MG 3 x 1 Santos

("O velho novo silêncio a dizer
Vá em frente bicho, que tudo pode tudo vai acontecer
Na minha mente paira a eterna idéia da missão..." Patrulha do Espaço )

Batemos o fino da bola. É verdade que a 'feiesa' santista contribuiu muito pra isto, mas em face de péssimas exibições diante de equipes igualmente ruins há que se louvar a performance desta tarde. Pois continuo insatisfeito, não mais pelo time que temos, uma vez que este de hoje é muito superior ao dos anos anteriores. Mas, tendo este time (que tem Júnior e Renan Oliveira sem serem sequer relacionados) poderíamos fazer muito mais neste campeonato de cabeças de bagre.
Parece que temos um grupo e que este se comporta como tal.

Carini: Ainda não foi exigido. Mas sabe-se lá por que, passa um pouco mais de segurança.
Thiago Feltri: Admirável pela dedicação em campo. Fora dele, deve dedicar ainda mais em treinar cruzamentos.
Werley: Simplicidade de sempre.
Jorge Luiz: Tirando os carrinhos dentro da área, não atrapalhou.
Carlos Alberto: Não é lateral, mas já que tá jogando lá, deve seguir o mesmo que o Feltri.
Jonílson: O único deslize foi o chutão pro alto ao não saber concluir. De resto, foi bem.
Correa: Caiu como uma luva no time e mostra isso a cada jogo.
Márcio Araújo: Voltou com fome de bola. Só deve se cuidar pra não ficar fominha como ameaçou algumas vezes.
Evandro: Melhora considerável. Longe do que desejamos, mas muito além do que vinha sendo.
(Ricardinho): Entrou num momento truncado, pouco apareceu, mas já indicou que nas roubadas de bola quem manda é ele.
Éder Luis: Dono do jogo. O chá de reserva lhe fez muito bem.
Diego Tardelli: Roth deve ter oferecido o chá no intervalo e ele voltou no segundo tempo pra jogar o que não jogou no primeiro.
(Renteria): Entrou no finalzinho só pra assinar a súmula.

Celso Roth: Boa escalação e responsável pela postura do time, apesar dos momentos de apagão.

Torcida: Parece ter entendido que vaia é pro adversário. E fez bem. Melhor ainda quando ovacionou o Éder após o gol do Tardelli, já que o pênalti foi cavado pelo camisa 11.

Dez minutos de pressão com possibilidades de matar o jogo de cara. Fizemos um, mas poderíamos ter feito mais. Em um bate-rebate na área, sobrou para o sóbrio Empurrou para o fundo das redes. Depois disso, muitos momentos de tédio, brevemente suspensos por uma ou outra oportunidade de gol - felizmente, todas nossas.

A outra etapa veio um pouco nebulosa, com ameaças adversárias. Mas o mar não estava pra peixe. Logo logo tomamos a rédea e novamente partimos pra cima. Contando com a péssima zaga santista, arrumamos uma penalidade máxima. Daí, Tardelli deixou seu recado pro agora reserva Renan: Penalti é técnica sim. Não é fechar os olhos e chutar pra qualquer lugar. E pra mostrar que artilheiro não vive só de gol de pênalti, o matador aproveitou uma excelente jogada e um grande passe do Correa pra estufar as redes pela terceira vez.

Parecia fechada a conta, mas como as coisas no Galo não seguem lá nenhum padrão lógico, a lembrança do jogo na Vila me veio à mente. E não é que a coisa quase desandou? Arrumaram um gol onde a zaga estava perdida, parada e o Carlos Alberto não foi capaz de sair 1cm do chão. À queima roupa, não dava pra esperar que o Carini se sobressaísse ao artilheiro de lá. A angústia chegou a tomar conta por uns cinco minutos, mas o vento ainda soprava a nosso favor.

No fim das contas, deu o que esperávamos, mas com um 'quê' de bom futebol. Que este não suma da pampulha na semana que vem...

5 comentários:

Afonso Pena¹³ disse...

Melhor apresentação do returno.

Um primeiro tempo DIGNO da grandeza do Carijó das alterosas.


Estou otimista, não apenas pelo excelente ''momento ação'' de hoje, mas PRINCIPALMENTE pela sequência que isso pode acarretar.

Desenvolvemos FUTEBOL, e isso é tão importante quanto desenvolver RESULTADOS.

''Ih ih ih ih ih, libertadores qualquer dia eu tô aí''


Galo, até e depois do além

Abraço!

Jason Urias disse...

Ontem o Galo jogou como time grande: dominou as ações e, os momentos em que o peixe tentou botar as barbatanas de fora foram porque o Carijó 'tirou o pé', diminuiu o ritmo ou esboçou ligeira obnubilação.

No início do jogo torci o nariz ao ver o Márcio Araújo jogando pelo lado esquerdo. "Pô, Celso, as melhores apresentações dele foram jogando pelo lado direito! Aquelas arrancadas e coisetale..."

Mas ontem foi a primeira vez que vi um jogo completo do Galo desde a chegada do Correa e concordo com o Gus, ele caiu como uma luva jogando ali pelo lado direito. E, pra completar, o M.A. conseguiu manter o nível de seu futebol jogando pela esquerda.

Temos dois 2º volantes que fortelecem muito a meiúca. Que, aliás, será, sem dúvida, um grande trunfo nosso. O Jonílson é o 1º volante o titular absoluto, apoiando muito bem a zaga, assim como o são o M.A. e o Correa. O Evandro roda assim que o Ricardinho entrar em forma.

Se a essência do time for mantida, o ano que vem promete 'dias melhores'.

No mais, um 'salve' ao Éder Luís, que jogou demais no primeiro tempo, pareceu estar sumindo no início do segundo mas mostrou que quer voltar a ser titular. Melhor jogador em campo ao lado do Correa, que jogou o fino da bola.

E, Gus, admito, o Tiago Feltri precisa urgentemente aprender a cruzar bolas na área. Marca bem, vai bem ao ataque (devido ao bom preparo físico), mas na hora do 'último passe'...

Tom disse...

Piaba, lambari ou baleia não importa, o que importa é q "foi tudo " pra rede.
Ps: Confirmado: Bacalhau não é peixe, bacalhau é bacalhau.
Ps 2:Se não fossem os medos e bobeiras anteriores poderíamos estar lá em cima, 4 pontos em casa que fossem....imperdoáveis, principalmente na época que se sentiram os mió que tava tendo.

Breno disse...

Parece que chegamos a um acordo quanto a identificação Biológica do ser aquático. E por falar em identificação, parece que estamos próximos de achar a nossa nos gramados. Coisa que estava faltando para que acontecesse tal vitoria convicente.

Algumas observações: Jonilson tem que entender que o que os outros fazem, por mais que pareça ser simples requer treinamente associado a qualidade técnica. Se fosse em um arranca seria o famos fecha o olho e prega o 'bico'. Resultado seria mais um tento.

Evandro pelo que escutei teve a chance de aumentar nosso pesqueiro, porém boa partida.

Concordo com Gus quanto ao Carini.

Tardelli mostra porque vai a Africa do Sul.

Éder Luis muito maduro quanto a opção de Roth, pois em tempos no SP ele não preocupava em melhorar nos treinos. Aqui é assim, não basta ter 'qualidade' tem que ter gana.


Troféu Mãe Dinah da rodada ao lado de alguns concorrentes.

Deixa eu desfazer as redes aqui, Boa semana!

Gus Martins disse...

É, Jason, também achei estranho o M.A. pela esquerda. Mas não é que o rapaz deu conta do recado?
E mostrou que é aquele Márcio Araújo antigo, em quem apostávamos, muito diferente daquela coisa estranha do ano passado.

(sobre o troféu M.D, comentarei no ranking no post mar logo...)