quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

E num é que o 'homi' veio?


Belo Horizonte (Pois é) - Acabou neste instante a primeira entrevista do bestial como técnico do Atlético. Aliás, não como técnico, mas como Manager, gerente, diretor de futebol, administrador, como queiram. Foi isso que ele deixou entender quando perguntado sobre sua função no clube. Que ele já não quer mais ser simplesmente o cara que fica gritando ao lado do gramado não é novidade pra ninguém. Parece-me que sua vinda e seu ‘acúmulo de funções’ vem bem a calhar ao presidente Kalil, que era a pessoa que cuidava da área.

Eu que não acreditava em sua vinda – só depois da notícia da desistência do Inter é que comecei a admitir a possibilidade – para o glorioso, permaneço com muitas das dúvidas que tinha antes do anúncio. A principal era sobre a relação custo x benefício de um técnico sabidamente caro.


Na reportagem que o Borusso comentou falou-se em R$600k mensais e muitos dos colegas lá da turma do trabalho diziam que ele não viria porque é um profissional muito caro. Um repórter questionou isto na coletiva e o Luxa o respondeu dizendo, em suma, que é melhor pagar mais e ter um profissional que dê resultados do que gastar com aqueles que não trazem resultado algum. “É como numa empresa”, disse o manager.

Conversando com a mesma turma, perdemos alguns minutos fazendo umas continhas: 600k/mês = R$7200mi no ano. O patrocínio máster renderá ao Galo 15 milhões em 2010. Ou seja, 50% da receita do patrocinador máster seriam destinados ao treinador (e sua comissão técnica, pelo que entendi do texto da Clickrbs). Se considerarmos que a torcida rendeu uns 15 milhões em bilheteria neste ano, o investimento no Luxa até parece não ser assim tão alto. E o presidente já disse que quem paga a conta é o Galo mesmo.

Ainda assim, há outras questões. Nós sabemos que o elenco do Galo é mediano e que o Bestial não faz milagre (é só observar esta última passagem pelo Santos). Então, o Clube terá que investir pesado em jogadores ‘vencedores’, como disse o novo técnico. Na própria coletiva, quando perguntado sobre a permanência do Ricardinho, sobre isso ele disse o seguinte: “Fica. Ele é um jogador vencedor. Pra ter um time campeão tem que ter campeão ao seu lado, jogador acostumado a vencer. Como o Júnior, por exemplo.”

Apesar das promessas do Kalil de investir no futebol, que é o carro-chefe do clube, e apesar do passado vencedor do novo treinador – como ele mesmo disse várias vezes durante a coletiva -, ainda tenho lá minhas dúvidas.

Seu momento não é dos melhores e há algum tempo não apresenta resultados grandiosos. Enquanto treinadores como o Adilson Batista (pra mim, o melhor em atividade no país) estão ascendendo rumo ao topo de suas carreias, o Luxemburgo parece ter perdido aquela chama motivadora, aquela gana de vencer. Ainda assim, se ele estiver certo em suas previsões dinorahticas (“Eu vou fazer o Atlético vencer em dois anos, com certeza”), será preciso mais que um treinador com um passado brilhante para se chegar a algo grandioso. Serão precisos jogadores vencedores para isso.

Mas, como diz Flávio Gomes, “sempre tem um mas”, este pode ser, sim, um novo começo para o clube. Pode ser uma oportunidade de crescimento e uma forma de se aproveitar a vasta experiência vencedora do bestial, por que não? É isso que todos queremos.

Entretanto, continuo esperando. Se já não mais pelo técnico, pelo Ano II.

E que, no final das contas, o Tom esteja certo.

Do que disse o Luxa na coletiva de hoje, destaco algumas falas:

- Ele disse que sua vinda para o Atlético não se deu pela desistência do Inter. Deu-se pelo projeto que o Kalil foi lhe mostrar em sua casa. Disse que gostou da forma objetiva, clara e sincera que o presidente lhe expôs a proposta do projeto do Galo. Isto me fez pensar que talvez aquele conflito de egos possa não existir. Mas não conto muito com isso, afinal, nós conhecemos bastante o temperamento do Kalil. Não há como prever nada neste sentido;

- Como já prevíamos, disse que o futebol do Galo será com ele. Ele tratará das contratações, da (óbvia) escolha dos jogadores, e das dispensas também. "O futebol do Atlético fica sob minha responsabilidade". Quando perguntado sobre a permanência do Tardelli, foi taxativo: “Ele fica. É um ídolo do time, a torcida gosta dele. O clube tem que ter um ídolo”.

- Disse que o projeto, nestes dois anos, é “levar o Atlético de volta à elite do futebol Sul-americano”.

- “Este projeto do Atlético é daqueles que eu gosto. O tipo de administração tem tudo pra dar certo”.

- Ricardinho: “Por quê vou mandá-lo embora? Pra ter um time campeão você tem que ter campeões ao seu lado”.

- Júnior: “Como preterir o Júnior? É um jogador experiente.” “Se não consegue jogar 3 jogos, que jogue 1 jogo. Ele pode pertencer ao elenco e ser importante. É preciso ter um elenco versátil”.

É. Alea jacta est.

23 comentários:

Tom disse...

Campo Grande, Madureira, Arcos da Lapa, Malandro Agulha.....rsrsrsrs

Gus Martins disse...

No post do Breno, chegou-se ao seguinte ponto: Transformar palavras em ações. É só o que espero.

Há que se observar, entretanto, que por mais otimista ou pretensioso que o Luxa possa parecer, quando ele diz "Nós vamos ganhar" passa muito mais confiança do que quando o Juarez, Leão e tantos outros diziam... Por que será?

A fase dele realmente não é boa. Há tempos que não arruma nada. Talvez tenha a ver com o tal conflito, uma vez que na sua volta da 'zoropa' deixou ainda mais claro que não é o "cara que fica gritando do lado do gramado" e é bem possível que isto tenha entrado em choque, prejudicando seu trabalho e o clube.

Espero que o Kalil o tenha desejado mesmo pra esta função (até porque, não temos mais "ninguém" no futebol desde a saída do Bebeto)aí o risco de conflito (que ainda estou certo que existirá) é menor.

ELe não é bobo e vai querer um timaço. Mas olhem bem. Este elenco que temos poderia ter erguido a taça se houvesse mais pulso e ousadia do comandante. Mesmo com os cabeça de chuteira do time. As marias em 2003 tinham Alex, mas também tinham Mota.

Afonso Pena¹³ disse...

Alea jact a est!

Mais uma vez, fostes muito feliz Sir Urias.

A frase de sua majestade Gaius Julius Caesar, que eu mais roubei na história de minha breve vida...muito propícia para momentos como este.

Talvez seja a frase que realmente define essa ''nova fase'' carijolesca.

Bom, Eu tenho dito que ter um GRANDE técnico não significa que este terá uma GRANDE equipe por trás.
Por mais que o universo conspire a favor do Bestial (vejam o histórico da criança), devemos manter os pés no chão, pois estamos a mercê da ''sina alvinegra'' de transformar o possível em impossível e vise versa...

É preciso tranqüilidade acima de tudo.

ter luxemburgo não significa ter elenco, pelo contrário...significa ter a OBRIGAÇÃO de buscar ''elementos qualificados'' para o ''trabalho sujo''.
É o tipo do treinador que NÃO faz milagres, mas com um elenco qualificado em mãos, monta verdadeiros ''carrosséis holandeses''.

A única coisa que podemos ter certeza é de que BORRAR NAS CALÇAS jamais! e só de ter essa certeza, ja ando tranquilo pelas ruas de Beo zonti...
Os nossos queridos (ou não) pessimistas que me perdoem, mas podem desistir de tomar 5x0 de novo, pq isso não faz parte do script moral do Bestial.

O tal problema da ''Personalidade'' alvinegra pode estar caminhando para uma solução, mesmo que temporária...

Meu caro Chico maia, ''postou'' hoje em uma de suas colunas populares o seguinte :

''Uma série de fatores influenciam para que um treinador dê certo ou não em um clube, e atenda as expectativas''

COBERTO de razão (mais uma vez) o nosso amigo chicão.

acrescentaria só uma observação sutil..

No caso do Atlético, é uma SÉRIE DE FATORES ELEVADO AO CUBO...

é só essa a minha preocupação.

...



Galo, até e depois do além.

Afonso Pena¹³ disse...

Nota rápida:

NÃO ESPEREM resultados relâmpagos,

A locomotiva do ''homi'' só trabalha através de muita lenha...

então, paciência.

Tom disse...

HOMEOPATIA:
1a Gota: reconheçamos,Tardelli foi obra do Juba, o Nhamniquara também, mas estavamos numa época précolombiana.
2a Dose: Cênicamente falando, o Macunaíma esculpido em Carrara* é o Jonilson.
3a Dose: Engenharia geogenética no Galo. Sai o Paraguai, entra Luxemburgo , mas tudo pode acabar em Honduras.
4a Dose: uma derrota não pode derrubar toda uma trajetória bem sucedida.
Dose Letal: contabilize; o caro que pode trazer lucros ou os baratos que já deram enorme prejuízo?
* expressão original que gerou a corruptela "cuspido e escarrado".

VÉIO DO GALO disse...

Este rapaz é competente, mas de um pernosticismo incomum.
Veremos no que isto dará e torcendo para que dê certo.
Pensei que poderia haver no Brasil uma lei que proibisse figuras públicas de candidatarem a cargos políticos,mas seria injusto porque teria que haver outra que proibissem também a candidatura de pessoas impublicáveis, ou seja 99% dos ocupantes e postulantes para as cadeiras disponíveis.

Gus Martins disse...

Numa coisa boto fé. Ter o Luxa olhando pras categorias de base.
Os jogadores que se borram, são culpa de quem contrata borrões.

Mas tem muito cara da base que também se borra, seja por influência desses, seja por já terem sido formados assim. Pois é de cedo que se aprende a não borrar nas calças.

Mesmo com um jogador bom aqui, outro acolá, o 'problema da personalidade' na base também é sério!

Tom disse...

Gus , ví o jogo do Galinho contra o Santos e o time tá com outro perfil, parece que o Micale tá tratando bem disto também.
Tem uns moleques lá que tem futuro.

Gus Martins disse...

Ah, Tom.. eu não tenho acompanhado...
Lembro de vocês aqui no FEF pedindo pelo Micale...
Bom sinal!

Tom disse...

Boruso sabe bem sobre o Micale.
Na taça BH vi uns tres jogos, dois com recuperações fantásticas e um deles numa decisão nos penaltis. Contra as meninas ,que não ví, me parece nas semi, tb foi a mesma coisa.
Na final praticou um futebol excelente, apesar do placar de 1x0.
Ontem ví novamente o Sidimar (o Luxa vai lança-lo certamente), o João Pedro que marcou um golaço, um neguinho super arisco, o Wescley e no finalzinho o Wendell, que se tiver cabeça tem um futuro fantástico.
Ja nos deu o título da BH e ontem marcou um golaço de falta.
Sem contar com um time taticamente super ajeitado.

Borusso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Borusso disse...

Bêem...bem, não sei...lol. Ele treinava o Figueirense, que ganhara a Copinha SP em 08. E Kalil foi clinteastwoodiano na Copinha seguinte, pois o Galinho foi eliminado na 1ª fase, Alexandre demitiu o Condé e ato contínuo trouxe o Micale. É tudo o que sei.

Vi uns pedaços anteontem da vitória sobre o Santos. Gostei tb do João Pedro.

Borusso disse...

Mto maneira a Homeopatia do Tom haha.

Qdo lembro que o Juarez deixou Lecy Brandão na reserva por 3 meses, fico mais revoltado com o Roth ainda.

Sigo fielmente as análises que vocês teceram sobre o Bestial.

Jason Urias disse...

Eu vi o jogo do Galo contra o Santos e, exceções feitas aos jogadores citados pelo Tom, estamos fritos.

Vi também a taça BH e, como todos sabem, o goleiro Renan Ribeiro praticamente nos deu o título, segurando penalidades em duas ou três decisões por penais.

Será preciso um grande esforço nas categorias de base porque, pelo que tenho visto, não há nada de espetacular por ali, ao menos no sub-20.

O Wendell e o Sidmar são os únicos jogadores infinitamente acima da média. Esse jovem meia-armador terá a oportunidade da vida dele com o Luxa aqui no Galo. O único problema é que ele me parece excessivamente 'marrento'. Mas tem um toque de bola refinado, uma visão de jogo excelente e sempre dribla/joga em direção ao gol. O vi jogando ao vivo na final da Taça BH e me encheu os olhos.

Jason Urias disse...

E digo mais: se for bem trabalhado, o Wendell pode ser muito melhor que o Renanzim.

Aliás, este é outro que terá sua oportunidade de ouro com o bestial por estas bandas de cá.

Tom disse...

Jason, mas base é assim mesmo, em média no máximo, salvo excessões, 20% vingam em cada geração.
Mas, agora temos Profexô e "poxeto" pra mais de metro heheheh.

Tom disse...

ô Jason vc confirmou aquela informação com o sumido Herberth? Confere?

Jason Urias disse...

Pois é, Tom, confirmei não. Há muito tempo não falo com ele!

Vou tentar confirmar e te falo.

Rodrigo disse...

5 anos sem um título nacional. Pior que o Galo.
A arrancada do clube ou a derrocada final do treinador? Aposto mais na segunda.

Tom disse...

ô Gus, ô Jason, botem pilha neste blog...hehehe.

Tom disse...

Toc, toc, toc, tem alguémn em casa? rsrsrs

Jason Urias disse...

Nossa, pessoal! Desculpem pelo 'abandono'!

Logo logo a gente agita isso aqui.

Borusso disse...

Boa a observação do Rodrigo! Oxalá queimemos nossas línguas c/ rlç ao Madureira.