sábado, 26 de março de 2011

Associação Livre

Belo Horizonte (Ótimo!) - O Tom, conforme prometido, mais uma vez marca presença aqui no "Associação Livre" enviando outro de seus textos repletos de reflexões cirúrgicas sobre o Glorioso.

Este está simplesmente sensacional.

***

O de-legado Kalil.

Defendi com unhas e dentes a chegada do Kalil à presidência do Glorioso. Defendi até a camisa rosa e afins.Kalil nos levantou a auto-estima, religou nossa alma com o peso que seu sobrenome significa na nossa história.

Parece que financeiramente a coisa estabilizou. Contas em dia, compromissos presentes e passados sendo cumpridos. Parece.

A máquina administrativa cheia de cabides, dizem também foi minimalizada. Dizem.

Nosso CT é no momento o melhor do País. Fato. Ganhar este conceito do SporTV ( Rede Globo) é para não deixar nenhuma margem de dúvidas.Porém, eu que já fui a treino na Vila Olímpica lamento que agora tenhamos uma “Cidade Proibida”, tipo aquela que fica lá nos confins da China do Obina...

Nosso técnico sempre fez vitoriosos trabalhos por onde passou, mas ao que parece sempre existe uma primeira vez na vida.

Contratamos também o melhor gerente de futebol do Brasil, especialista em compras e vendas. No momento imagino que ele não tem muito que fazer a não ser dar alguma entrevista enquanto o presidente é quem viaja para contratar.

Nosso presidente sabe o que quer, fala o que quer, tem língua afiada e respostas em sua ponta. Língua fala, língua paga.

De toda forma fazia tempo que não vivíamos uma alardeada situação de pujança. Nossos velhos problemas acabaram e deram lugar a outros novos e imprevistos problemas, muito comuns para aqueles que não prevêem, apenas vêem.

E como parece ser nossa sina, sempre quando tudo tem tudo para ir bem, tudo acaba mal. Sina? Acaso ou repetição? Perguntaria o velhinho de Viena.

Será Kalil um poderoso mandarim em sua Cidade Proibida? Quem contrata no Galo? Quais os critérios? Planejamento ou passeio pelo mercado persa? Como se vende no Galo? Para que serve o Maluf? Por que posições sabidamente carentes continuam carentes? O que justifica a contratação de um veterano artilheiro que reaparece em time de segunda linha, onde a maioria dos adversários supostamente mais fortes , relaxam , descuidam-se, proporcionando-lhe assim alguns últimos suspiros?
O que justifica a contratação de um meia-atacante que marcou  golaços justo na tradicionalmente exótica última rodada de qualquer campeonato? E a criatividade recorrente de contratar ex-jogadores do rival? Acaso ou repetição?Afinal, o técnico também opina ou apenas assimila goela abaixo  o que lhe chega à mão? Estará Dorival desencantando tal qual um Muricy sem os ratos? Terá a razão o velho Minelli que ao ser demitido pelo Kalil-Pai, definiu o Galo como um Ovo de Páscoa: “bonito por fora e vazio por dentro”.
 


Sou da época do futebol de botão. Quando criança vivia montando times cheios de craques que jogavam em qualquer posição. Eram, times mágicos, imbatíveis, perfeitos, idealizados. A idealização segundo o tal velhinho vienense, “é a tendência que falsifica o julgamento”.
 
Nas minhas partidas de botão disputadas contra eu mesmo, nunca perdi um jogo. Jamais, em tempo algum.
 
E assim me sentia exatamente igual a Luiz XIV, o monarca absolutista que construiu não só o Palácio de Versalhes, mas também o dos Inválidos e que proclamava: “O Estado sou Eu!”
***


29 comentários:

Gus Martins disse...

"Nossos velhos problemas acabaram e deram lugar a outros novos e imprevistos problemas, muito comuns para aqueles que não prevêem, apenas vêem".
Perfeito.
Taí mais um excelete texto e uma reflexão daquelas que eu gostaria de fazer em dias como o de ontem. Melhor ainda que o Tom, com conhecimento de causa, vem e faz.

Mas ainda há uma esperança. Não ilusória. E não com o Galo. Mas com nossos bons e velhos ideais. Meia hora antes de ler o texto, recebo ligação de um amigo que hoje vem me visitar, para que junto com os demais disputemos mais um emocionante torneio de Futebol de Botão!!

Breno disse...

Sensacional...
Uma das coisas que me prendem aqui no FEF é isso... A habilidade de craques das palavras aqui contido... e mais um texto a um bom TOM.

Gus, linka depois aquele site lá dos botões... depois dessa nada melhor que tentar um massacre no botão, já que está vindo uma delegação de BH!

Amplexos,

Denize disse...

Nossa... o texto é emocionante! Não compreendo muito bem a linguagem futebolística e confesso não estar atualizada quanto aos bastidores do Galo. Contudo, a indignação alvo e negra foi apresentada de forma serena e poética.

Parabéns Jason e Gugs pela habilidade com as palavras! Enquanto houver ideais de um time mágico e perfeito, a representação vitória existe e só ela nos fará campeões! Seguimos na esperança de um dia ter, na diretoria do Galo, uma pessoa com uma sensibilidade como a de vocês. Alguém que reconheça a importância da técnica, mas que trabalhe movido por um time ideal. Que bonito isso! Será preciso entrar então no campo do amor para encontrar as vitórias!

Aos jogadores do futebol de botão, que tenham um bom torneio!

Tom disse...

O problema de escrever não é só o de escrever.
O problema de escrever é reler.
Aí da vontade de mudar 1, 2, 3, 1000 coisas. É um sofrimento.
Por isto, tipos do tipo de um Chico Buarque nunca ouve ou relê o q escreve ou grave.
Acabou, acabou.
Eu nunca consigo.
E é isto que me mata de inveja.
Do resto não...
Intão tá, ô babaca! rs.

Tom disse...

Uma das coisas que faltou colocar e é fundamental, é que defendo a reeileição do Kalil.

elianA disse...

Em tempo de caça (e cassa) aos ditadores, vem o Kalil cantar de Galo...

Denize Braga disse...

Tom, desculpe a minha distração. Atribuí os méritos do texto ao Jason (estranho chamá-lo assim) e só depois observei o texto é seu. Não se preocupe, o texto ficou ótimo!

Carlim disse...

Falou vbonito primo, mas tenho certeza que seremos campões, e com Kalil

João Carlos Tabarez disse...

Texto estranho, mas não deixa de ter razão.
Parabéns pelo blog. Diferente.

Gus Martins disse...

Sejam bem vindos, Carlim e João Carlos!

João, se quiser dar um passeio pelos posts antigos, verá.. coisas estranhas e diferentes é o que não falta por aqui... rsrsrs!
E não se acanhe em dar os pitacos que quiser!

Tom, eu não reescreveria nada.
Aliás, o que preciso reescrever é a história no futebol de botão, após acabar de perder a final da champions league com o O. Marseille, justamente pro ladrão do meu irmão que dirigia o Tottenhan... Aff!

SambaDela disse...

Ótimo texto para abrir os olhos daqueles que nao pedem respostas a essas perguntas. Como pode um time que parece ter tudo,mas falta exatamente um time?

Daniel disse...

Não há o que explicar...
Um bom elenco, o melhor CT do Brasil, um dos melhores técnicos da atualidade (e não do passado, mesmo que relativamente recente, como o Luxa) e, novamente, o GALO passa por essa campanha sofrível.
Todo atleticano deveria SIM se perguntar de onde vem todo esse dinheiro. Equilíbrio nas contas? Seria esse o pote de ouro? Essa questão é tão difícil de entender quanto a primeira.

Creio que o Kalil esteja fazendo o que está ao seu alcance (e temo que esteja fazendo algo além desse limite). Acho que, como em 2010, o negócio vai ser novamente esperar, esperar e esperar. Afinal, quem teve tanta paciência até agora, há de ter uma reserva para um time um pouco mais qualificado

Ótimo texto! Ótima reflexão! E eu também nunca perdi para mim mesmo no futebol de botão! kkkkkkkkk

Antonio GaloSempre disse...

Difícil encontrar um texto assim escrito por um torcedor Atleticano.
Me passou uma imagem de maturidade e deve causar arrepios nos apaixonados e insensatos que se vê por ai.
O GALO está precisando de posturas assim.

Daniel Martins disse...

Como disse o outro Daniel, "Não há o que explicar...
Um bom elenco, o melhor CT do Brasil, um dos melhores técnicos da atualidade..."

Do elenco discordo... principalmente por causa do que li aqui:
http://globoesporte.globo.com/platb/blog-do-futebol-mineiro/2011/03/24/time-de-coadjuvantes-sem-protagonista/

Seguindo na linha de raciocínio do Antonio, são posturas assim que podem mudar a situação real. Não que torcer apaixonadamente não seja necessário, mas pode ser prejudicial!

Como sou um torcedor e admirador recente(de futebol e do galo) é o tipo de texto que fazem bater a pergunta: mas então porque eu torço pra esse "time"?
Como outros textos e momentos já me fizeram pensar isso... mas, inexplicavelmente, no primeiro gol que se seguir do galo, no primeiro grito da torcida, ou na simples vibração do ar, a "raiva" some, e tudo fica alvinegro, inexplicável xD

A propósito, Carlim, espero que estejas certo!

Boas vindas a todos xD

Cecília Olliveira disse...

Bem disse o Daniel: "Um bom elenco, o melhor CT do Brasil, um dos melhores técnicos da atualidade (e não do passado, mesmo que relativamente recente, como o Luxa) e, novamente, o GALO passa por essa campanha sofrível". Somos apaixonados, somos. Mas não podemos ser cegados por esta paixão. Bom texto, bons questionamentos. O bom torcedor não é o cego de paixão,mas aquele que critica e busca melhorias pra nação alvinegra!

REX GALO disse...

Conversa boa deste Tom, séria e engraçada. Apoiado.

Gus Martins disse...

Opa, bem vindos também a SambaDela (!!!), Daniel (2), Antônio, Cecília e Rex.

Como diz o Tom, vira e mexe o FEF solta alguma lucidez insana... então apareçam mais!

Tom disse...

ôpa, ta rendendo?

Jason Urias disse...

Faço coro ao Gus: bem vindo a todos!

A idéia do FEF é exatamente essa que vocês têm comentado: Amar o Galo sem que nos deixemos cegar.

E é bacana demais perceber que, como nós, há muitos outros atleticanos que buscam a lucidez mesmos "imersos na ambivalência desta paixão".

Fiquem à vontade! O divã é de vocês!

Thiago Naves disse...

Ótimas considerações, o final é de uma sutileza excelente.

Tom disse...

A moça que se intitula SambaDela é a excelente e brilhante amiguinha Luara Ramos que me disse via twitter que lê o FEF mas não comenta. Assim prdemos todos todos Luarinha.

Carina Gomes disse...

Intererssante , reflete bem o que está acontecendo no nosso Galo.

Afonso Pena¹³ disse...

Mais uma vez sublime o nosso Tom.

Com o vigor e a objetividade de sempre.

Um ''Orador a moda oriental''.

Mais do que isso, Carina Gomes ressalta....''reflete bem o que está acontecendo no nosso galo'' e conclui as 'deixas' do Tom a respeito.

Tom disse...

Afo, cadê seu twitter? Se não trem tá na hora de fazer um.

Júlio Cezar disse...

Texto bem legal. Fora dos padrões.

Tom disse...

Sintamos honrados, a @Cecilia, a Cecilia Olliveira é jornalista de Bh radicada no Rio, reporter policial super competente e especializada em segurança publica, tinha q ser Atleticana.

Tom disse...

Grande definição deu o
@cidadãokane13 ao definir o #Galo como Kalil F.C.

Marcelo Vargas disse...

Tem o lado bom e o ruim de ter um Presidente assim. Se há o risco do totalitarismo, pelo menos há alguém que bote a cara quando a coisa dá errado. E estamos no momento em que tá tudo errado, então pelo menos sabemos de quem é a culpa. Vamos esperar os próximos dias pra ver como o culpado vai se comportar.

Borusso disse...

9amente é super legal topar com a reflexão do Tom!

E feliz de ver uma turma boa aqui interessada nas causas dos nossos maus results em campo.

Como citaram o Twitter, queria imitar a trend do Rafa Soli e bradar: - Vai TiFuDe Alexandre Kalil!

Títulos - Futuro - Democracia
Estamos ficando p/ trás nesses 3 em rlç a otros clubs, o Iate Bacaninha que ele prometera se transformou numa barca +/- feito a do Ziza Valadares. Não sei se as velas foram parar na LaundroGuima.

E creio estar na hora dum boicote aos stadios, como no ADC.