quinta-feira, 24 de março de 2011

Galo no Divã: Atlético MG 1 x 1 Uberaba


 (com o atraso proporcional à minha preguiça, tédio e pouco merecimento desse timeco )
Vou bater nessa tecla até a morte. O Rickão tava certo, mas isto no Galo não funciona. Além da competência, humildade é algo que anda escasso em Lourdes e em Vespasiano. O time não tem que achar que é grande. Precisa ser. Incontáveis vezes denunciamos aqui o contrário. O clube, com seus nheim nheim nheim administrativos e o time, com a postura em campo, cada vez mais se diminui no delírio de grandeza.
Renan Ribeiro: Fez o que tinha que fazer
Bernard: Baixinho atrevido que, não sendo do ofício, está perdoado pelas falhas de marcação que o próprio assumiu.
Rever: Horriver. Lembra do papo de humildade?
Leonardo Silva: Melhorou o posicionamento. E só.
Richarlyson: Bem no primeiro tempo, apagado no segundo.
Serginho: Confusão espaço-temporal crônica.
Toró: O piano pra ele ainda é mais pesado do que para o Zé.
(Mancini): Entrou, fez merda e saiu.
(Neto Berola): Sassaricou pra lá e pra cá, caiu mais do que andou e de novo não fez nada.
Ricardinho: Osteoporose?
Renan Oliveira: Inspirado nos diagnósticos do Avenida... Senilidade precoce.
Jóbson: Movimentação e visão de jogo que lembra o  Tardelli nos bons tempos. Faltam os gols.
(Magno Alves): Freio de mão totalmente puxado.
Ricardo Bueno: Recebeu um presentão do Jóbson. E desperdiçou um milhão. Mas pra quê, né, atacante não é só fazedor de gols.
 Dorival Júnior: Ainda quero acreditar que está usando e abusando do mineiro para descartar logo as peças enferrujadas. Mas nesses últimos tempos não tem feito nada do que já não tivessem tentado e não disse nada do que já não soubéssemos. Tem crédito por ser quem é.
 Primeiro tempo deprimente, como não poderia fugir à regra do Mineiro. Enquanto eu esperava que o Ricardinho voltasse  esbanjando nos pés sua inteligência peculiar, o meio de campo se mostrava engessado. Quando eu estava certo de que o Renanzim, craque de pelada, ia aproveitar a oportunidade de um adversário abaixo da crítica para tentar enganar mais alguns comentaristas, o (nem tão) jovem itabirano não conseguia passar pela zaga. Se eu esperava a velocidade do Serginho que outrora foi grande elemento surpresa, nem me surpreendi como tanto que estava perdido em campo. Correr não basta. Jóbson, antes só do que mal acompanhado, corria dum lado para o outro enquanto o Bueno ficava paradão no meio,  invariavelmente mal posicionado. O setor defensivo parecia estar recheado de craques. Assim deveria ser na cabeça deles. Apenas nelas. O papo de humildade do Rickão não colou com os companheiros e estes continuaram abusando da ruindade do Uberaba para esconder a própria. Com muito blá blá blá meu e nada de futebol, deu vontade de não terminar o jogo.
Mas insisti, porque ultimamente as (poucas) coisas boas em jogos do Galo acontecem na etapa complementar. Com a entrada do Mancini, criei até mais esperanças de que isto se repetiria. Daí veio uma boa jogada do Jobson que deixou com a mão a bola pronta para o Bueno deixar o goleiro parado. De 1 gol em 100 chances, o atacante “aumenta” seu aproveitamento para 2 em 200 (hahá). Aí, com uma coleção de recuos de bola no setor defensivo, contando com a inoperância do meio campo, Mancini dá um vacilo no meio, a bola sobra pro gordo, velho e manco duma perna – Maruinho (foi ele mesmo? Se não foi, fica com o crédito porque nessas condições deu um trabalho danado pro Galo) dar um bago pro baixinho dominar na frente do Réver e emendar pro gol. Renan Ribeiro fez o que pode, mas a zaga não. O rebote foi deles e o gol também. 
Por motivos que desconheço, embora tenha a maior clareza que existem, continuem vendo o jogo, lutando contra o sono e a responsabilidade de trabalhar às 7 da matina. Não deu em nada. Placar final.
Sobre os constantes episódios patéticos da nossa zaga, não posso deixar de futucar. Esse apelido ridículo que resolveram atribuir aos atuais titulares. Torres gêmeas. Não, nem tão ridículo assim. Qualquer coisa que sobrevoe próximo aos dois, os leva ao chão. Com desculpas aos estadunidenses pelo humor alvi-negro.

11 comentários:

Tom disse...

Ó, tô num nervo danado.

Tom disse...

E como dira Ari Barroso: "sambinha é o diabo que o carregue"

Tom disse...

Tô bão não heim!
Querendo passar um texto pro Gus via msn e ele indo e vindo por aí, como informa a mensagem automática.

Breno disse...

Bom sei que a casa tem que arrumar, e agora vi uma especulação que não seria nada ruim... Será que o Tayson vem mesmo?

Tom disse...

Tays brincando Breno....

Daniel Martins disse...

A propósito... 103 anos!
Ia deixar pra postar as 1:03 da matina
mas deu sono =D

Jason Urias disse...

Tom,

pode mandar o texto pro email do FEF. Publicaremos.

O Bernardinho (hehehehe), jogando fora da posição, na primeira partida oficial e tendo que encarar a apatia do time mostrou que tem bala-na-agulha e pode tomar o lugar do Renanzim na meiúca. Porque, convenhamos, aquela corridinha de urubu-malandro já não convence mais ninguém.

E, se o Richarlyson quiser continuar no time, que aceite a lateral esquerda. Porque, como volante, não rende um terço do que rende na lateral (e olha que não tem sido grandes coisas assim por ali, hein...).

Zé e Toró pra cercar a zaga, Bernard e Ricardinho (e que se traga o Diego, como ouvi dizer por aí. Se é pra fazer loucura, presidente, que se faça direito!) na armação.

Quanto à experimentação, tô com o Dorival e não abro. A gente sempre disse que Mineiro é pra isso, então, bote esse bando pra jogar e formar um time decente até o início do brasileirão (se der pra ser tb na CB, melhor).

Tom disse...

Jason depois do niver eu mando, melhor assim.

Jason Urias disse...

Aliás, aproveitando o ensejo, lembro a todos que a seção "Associação Livre" está... livre! hehe

Àqueles que quiserem aproveitar o aniversário e dedicar ao glorioso uma ode (e sei que tem muita gente boa 'de palavra' por aqui) ou, vá lá, algumas simples palavras, vocês já sabem: enviem os textos para futebol.freud@gmail.com que a gente tasca no FEF!

Então é isso! Não façam como eu: não sejam preguiçosos!

Gabriel Castro disse...

Sempre bom passar por aqui.

#galo103anos

grande abraço.

elianA disse...

Só sei que nossas alegrias são breves, muito breves, e logo vem essa triste realidade de volta...