domingo, 15 de março de 2009

Galo no Divã: Guarani 0 x 1 Atlético MG

(as coisas mudam para continuar do mesmo jeito...)

Desprezível.
Preciso parar com isso. Essa história de brincar de ser jogador ilude muito né... Depois de ter criado um personadem no videogame que hoje é atacante titular do Barcelona, no lugar que era do Messi, a gente acha que na vida real também é fácil.
Quando inventaram a tv fechada, a chance de ver muitos jogos de campeonatos europeus, inclusive a Champions League, contribuiu mais ainda pra achar que na vida real é fácil.
Mas não é. Futebol é muito difícil. Principalmente quando se está em um time grande e joga contra um horroroso. Fica tudo mais difícil. O sol, o gramado, o formato da bola, a chuteira, o juiz. Tudo atrapalha. E ainda por cima vem a maldita torcida pra reclamar.
Realmente, não é nada simples o futebol.
Eles estão certos em continuar assim.
E eu não entendo mais nada do esporte bretão.

Neste lance foi preciso 'tirar o pé'. Mas na partida inteira??? (Foto Superesportes).

Juninho: Não inspira a menor confiança.
Marcos Rocha: Pouco eficiente, mas contribuiu no lance do gol.
(Werley): Não tinha muito o que fazer. É preciso um desafio maior para vermos se a '3' é dele mesmo!
Welton Felipe: Conseguiu falhar até contra o lanterna.
Leandro Almeida: Falta ritmo, companhia na zaga ou vontade?
Júnior: Continua movimentando bem, mas foi menos criativo e decisivo.
Renan: Esteve sempre na cola do adversário. Isso é ruim. Deveria estar sempre adiantado a ele.
Márcio Araújo: Básico.
(Trípodi): Não fez nada ou eu que já não estava prestando atenção mesmo?
Carlos Alberto: Movimentou-se por todo campo, como de costume e cumpriu as subidas pela esquerda quando o lateral não ia.
Éder Luis: E eu que achei que ele já tinha calibrado a chuteira...
Pedro Paulo: Em posição errada, não jogou.
Renan Oliveira: Camisa 10 não é quem tem técnica e habilidade. É quem sabe usar com precisão aquela que tem.
Diego Tardelli: Achou que já tinha 'feito sua parte' e resolveu inventar...

Leão: Temo pelo pior. Continuo sem entender certas duas escalações. Será que algum conflito (que ele sempre arruma com alguém) está por vir...?

Primeiro tempo: Começou diferente. Dessa vez achei que o time vinha pra matar logo e parar de brincadeira. Com 15 minutos já estávamos com um tento na frente, mais uma vez com o artilheiro que contou ainda com a participação do mais regular Carlos Alberto. Não precisaria de broncas no intervalo, afinal o time já estava bem.
Será?
Apenas houve inversão nos tempos. Depois do um a zero contra o lanterna, o time achou que já estava ganho, que estava tudo feito. E a força de vontade, determinação e respeito com o futebol foram diminuindo até culminar em um segundo tempo difícil de assistir.
Na etapa final, o Galo conseguiu ser ameaçado por algumas investidas do Guarani e, não fosse a enorme incometência destes, não teríamos os famosos 3 pontos, objetivo único dos que se limitam a fazer o mínimo.

A postura foi desprezível por se contentarem com tão pouco. Por acharem que basta ser menos medíocre que o adversário. Por me obrigarem a mais uma vez assumir minha falta de criatividade em não conseguir dizer nada de diferente, uma vez que eles mudam, mudam e continuam os mesmos.

*Dizem por aí: "Time ofensivo, muitas oportunidades perdidas, superioridade em relação ao adversário". Nada disso me convence de que estamos falando do mesmo time. E, tais descrições representam apenas o começo do que deve ser a condição atleticana daqui (ano 1) pra frente.
Não me contento com o que vejo em campo, tampouco com o que ouço os 'entendidos' do assunto.
Mas futebol é complicado... ainda tenho muito o que aprender...
(aprender sim... conformar não!)

2 comentários:

Herberth Mendes disse...

Só valeu pelos "famosos 3 pontos" mesmo. Caramba, que canetaça tomou o Welton Felipe...se aquela bola entra ia ser foda.

Breno disse...

Lamentavelmente não pude acompanhar o jogo pelas ondas da rádia e nem da TV, mas vi os lances editados no site da Globo.com. Como a velha mania de expor só os bons lances e jogadas isoladas, eu falaria que foi um bom jogo, mas as criticas nos jornais não deixam as imagens falar mais que as palavras. O Brasileiro tá aparecendo laaaaá na frente, e aí? Vamos suportar jogando esse futebol inconsistente?