segunda-feira, 16 de março de 2009

Misão (quase) impossível. Será?

Rio das Ostras (as mesmas chances. Sei...) - Nos comentários deste post surgiu uma discussão sobre a condição do volante Renan no time do Galo, sobre a chegada do volante-meia-atacante-armador Fabiano e sobre o Júnior Carioca.

Corrijam-me seu estiver errado, mas é unanimidade por aqui que o Carioca merece uma nova oportunidade no time titular, principalmente pelo fato de o Renan não estar agradando muito. E a oportunidade pode ter chegado. Com a suspeinção do último, o primeiro pode entrar no time na próxima partida, contra o Villa Nova, no Terreiro do Galo.

Esperamos que ele aproveite a chance e mostre ao Leão que ele deve permanecer no time. O problema é que ele precisa "matar um leão" (opa!) por jogada pra mostrar seu valor, já que o Juba tem preferência escancarada pelo ex-são-paulino.

3 comentários:

Gus Martins disse...

Condições para matar o leão de Nova Lima eu sei que tem. De sobra. (Pelo menos mais do que o titular).

O difícil é convencer o outro, da cidade do galo.

"leão amigo, leão amigo..."

Prevalecendo aquilo que já obsevamos (muito pouco porque o Jr. teve pouca chance), veremos se o treinador privilegiará o bom senso ou a pirraça...

eliana disse...

Ouvi na Itatiaia ontem que o Leão disse que prefere o Renan porque Junior Carioca não marca. Agora eu pergunto: o que é melhor, um que não marca ou um quem nem joga?

Tom disse...

Pois é, a princípio pensei q a má vontade do Leão foi em razão do Jr não ter sido indicado por ele e reforçada pela sua participação na previsível infelicidade na primeira partida do torneio de verão.
Jr é Carioca, cria do flamengo e como indicam suas origens não faz o perfil do jogador marcador e aguerrido que o Leão tanto gosta naquele espaço do campo.
Tido como jogador problema ( dizem q saiu na mão com o Cuca ) até que está super contido e disposto a reverter esta imagem ( já tendo feito uma mea culpa).
O Leão vê uma utilidade invisível no Renan.
Eu fico cam a genial sacada da Eliane qdo pergunta: "o que é melhor, um que não marca ou um quem nem joga?".