terça-feira, 21 de abril de 2009

Perguntas que não se calam

Belo Horizonte (Será que há venda de ingressos hoje?) – Durante o jogo contra o Rio Branco, o Gus e eu conversávamos sobre a ineficiência do volante Renan no time do Galo. Naquele jogo (e em todos os outros até agora), ficou fácil perceber que ele não cumpriu seu papel em campo, que é o de proteger a zaga; não marcou ninguém e, ainda, resolveu ir ao ataque periodicamente. Sem sucesso, é claro.

Não. Não é o de despedida.
Então o Leão colocou o Júnior Carioca em campo. Todos vocês sabem que nós aqui no FEF sempre pedimos uma chance maior a este volante pela qualidade do seu passe e por sua visão de jogo. Era, assim, uma ótima oportunidade de conferir, in loco, se estávamos certos em apoiar o rapaz.

O Galo no Divã deste jogo já contou o que aconteceu. Ele demonstrou, como suspeitávamos, excelente qualidade no passe. Fez ótimos lançamentos e mostrou que tem visão de jogo. Antes que alguém diga que estou exagerando nos elogios e dizendo que ele é craque, quero deixar claro que não é isso. É importante lembrar que o contexto ao qual me refiro é este time do Galo.

Apesar das qualidades, não foi difícil perceber que há algumas características que precisam ser melhoradas. Por exemplo: ele não é um volante marcador. Não é aquele cara que se posta frente à zaga e ajuda na marcação dos atacantes adversários. Não é aquele cara que desarma jogadas, rouba bolas e depois passa la pelota a quem tem mais intimidade com o ataque. Não. Talvez seja este o motivo que faz com que o Leão não o escale como titular. Com tais características, o Júnior Carioca se torna um jogador mais de armação, de apoio ao ataque do que de apoio ao setor defensivo.
Discutindo isso durante o jogo, o Herberth disse concordar que ele permaneça na reserva por acreditar que, neste caso, a disputa de posição do Júnior Carioca é com o Lopes (um pouco, também, com o Carlos Alberto) e não com Renan e/ou Márcio Araújo.

Mas por que, então, não aproveitar a qualidade do passe desse jogador? Ainda mais se compararmos este quesito com o Márcio Araújo? Não seria uma opção colocá-lo em campo justamente em seu lugar? Por que manter no time um jogador que não cumpre sua função básica, como é o caso do Renan?

Ainda que tudo isto seja somente especulação e ainda que o Leão esteja certo e o Junior Carioca não tenha qualidade para ser titular, acho que valeria a pena observá-lo entre os titulares. Ao menos aproveitá-lo melhor, mesmo que entrando no decorrer das partidas. Nem que seja pra perceber que tudo isso que temos dito é a mais pura balela.

17 comentários:

Tom disse...

Sobre o Carioca é legal saber que ele tem um histórico fulgurante como jogador e bad boy.
Ficou famoso o eposódio ocorrido quando da desclassificação do flamengo numa libertadores.
Titular absoluto, o mais novo craque da Gávea, desentendeu-se no vestiário com alguns jogadores e o técnico ,na época o Cuca, com quem também teria saído aos tapas.
Foi literalmente fritado .
No Grêmio, não se deu com o Roth.
Hoje diz que mudou seus conceitos.
Em todas as declarações que ouvi dele já no Galo me pareceu bem mudado.
Dom Leão sabe de tudo isto e tem lá o seu jeito de lidar com isto.
Leão é neo- behaviorista.
Aos neus olhos ele é 8 e não 5 ( como é o Renam).
Jogou de 5 no flamengo pq lá todo mundo joga de tudo, de acordo com a necessidade.
Colocaria ele no lugar de Marcio Araújo, presrvando o C.Alberto.
Uma bela alternativa e um novo modo de jogar.
Ah, Fabiano no lugar do Renam, hehe.
Mas cá pra nós tá muito mió que a imensa maioria dos últimos anos. Já temos até repertório de jogador pra discutir e não mais aquele "vai com Deus" que outrora imperava...

Gus Martins disse...

Pois é, Tom. Como disse o Jason, sábado, eu, ele e o Beth discutíamos sobre isso... acabamos por concordar que o Jr. poderia se dar bem mesmo no lugar do Márcio Araújo.

Aí, pro lugar do... (sem adjetivos)... camisa 5, o Fabiano pode estrear...

Sem dúvida, discordar do treinador pelas escolhas que faz é menos pior do que ter pena dele por não ter escolha alguma... hehe!

Jason Urias disse...

Eu só não acho que o fabiano seja volantão. Acho que ele joga mais adiantado, mesmo. Volante, 1º volante, hoje, no galo, acho que só o Rafael Miranda (pq o Renan não tem mostrado nada).

Seu eu estiver enganado, corrijam, pq agora não me vem mais ninguém à cabeça!

Gus Martins disse...

Pior é que das vezes que o Xodó da vovó entrou, também não me agradou.
Espero que seja só falta de ritmo, pois embora nunca o tenha achado nenhum craque, também nunca tive nada contra o Miranda...

Jason Urias disse...

Sabe que eu estava pensando em uma coisa, ontem...

Quando o Márcio Araújo começou a jogar pelas bandas de cá, jogava mais como primeiro volante. Naquela época, a maior parte da torcida do Galo (inclusive eu) viu nele enorme potencial.

Talvez ele pudesse continuar no time, ao invés de sair pra dar lugar ao JC e assumir esta função de desarme e proteção à zaga. O que pode ser até bom pra ele e pro time, uma vez que sua função se resumiria a desarmar e entregar a bola pro primeiro mais adiantado que ele. Isso o livraria das críticas à péssima qualidade de seu passe.

Gus Martins disse...

... e nos livraria do Renan...
quem sabe seria uma boa mesmo!

Flay disse...

É, o Renan tá 'Pho..'! Não assisti ao jogo contra o Rio Branco e por isso não posso opinar. O que eu quero dizer é que com o Renan jogando essa 'bola quadrada', qualquer um, inclusive o Jr.Carioca, marca melhor que ele. Nesse caso específico ainda tem a vantagem desse segundo ter um passe acima da média dos volantes do Galo. Não acho que seria um absurdo, mesmo um pouco contra as características dele, trocar o Renan pelo Carioca. A idéia do Jason também foi ótima, recuar o 'Massa' e colocar o Jr. um pouco mais a frente ajudando na armação. Resta saber o que se passa por baixo daqueles cabelos brancos do Leão.

Tom disse...

Renan ou o Xodó da vovó me fazem lembrar uma situação grupal que o Pichón Riviere em suas teoriações sobre Grupos Operativos chama de
"Obsoletismo dinâmico", é aqule trança -trança que não leva, não trás e nem chega à lugar algum...

Tom disse...

Em tempo: "volante - volante " tem que cobrir, marcar e passar sem inventar, a menos q seja algum superdotado como hoje não se vê mais , talvez o Hernandes que por isto mesmo estão tentando transforma-lo em 8 ou 10 e acabando com a bola dele.

Gus Martins disse...

"Obsoletismo dinâmico": Tom, fale-me mais sobre isso (hehehe).
Anima escrever um "ensaio"?

Jason Urias disse...

È mesmo, hein Tom! Já está passando da hora de você "associar livremente" aqui no nosso divã.
hehe

Mande no futebol.freud@gmail.com.

Prometo que não vou "esquecer" o texto lá, como rolou com o do Breno.

Herberth Mendes disse...

Sou ruim de palpite mas toma aê.
Olha, JC tem qualidade, mas num marca e isso desagrada o chefe. Continuo achando dífícil ele ser titular. Com sinceridade, também não seria meu titular. Prefiro como opção pra mudar o ritmo do jogo no segundo tempo.

Acho até que Fabiano (se jogar como na época de futebol paulista) arruma uma vaga no time antes do JC.

Márcio Araújo, na hora que o time tiver mais ajeitado, deve ser banco.

Comentei com o pessoal no sábado, não acho o Renan em campo.

Num entendo essse negócio de tática mas o futuro talvez seja isso: Juninho, Granja, Leandro Almeida, Marcos e Júnior, Renan(o chefe gosta),Carlos Alberto, Fabiano, Lopes ou Renanzinho, Tardelli e Éder.

3 volantes pra pegar pesado no meio, fechar as laterais quando esses subirem e que também sabem chegar na frente (menos o Renan).

Tardelli e Éder na frente com Lopes ou Renanzinho chegando. Os 3 marcam a saída de bola do adversário.

Mesmo esquema que o Leão já usou trocentas vezes.

Werley (se não vier mais alguma opção)e WF vão ser reserva pra zaga, Sheslon, Feltri e Rocha pras laterais. Márcio Araújo, Serginho e Xodó da Vóvó, o argentino do Paraguai e o resto da galera tudo no banco pro meio e ataque.

Mas o mais interessante que essa papagaiada toda é o que disse o Tom, temos bem mais opções. Vamos ver depois das finais do mineiro e do afunilamento da copa Brasil o nosso real nível.

Jason Urias disse...

Beth, você não acha que, se o Serginho apresentar um futebol ao menos parecido com o que ele jogava quando se contundiu, ele não teria chance no time titular?

Herberth Mendes disse...

Olha Jason, esse time aê é só chutômetro, tentando entender Leão. Dependendo do que rolar daqui até o brasileirão, muita gente pode se firmar de vez ou se queimar. Renan tá lá poque o chefe gosta. Por mim podia ser o Serginho ou o Xodó, mas os dois tão voltando de contusão e ainda vão trocar as pernas por um tempo.
De qualquer forma só quando jogarmos com os grandes vamos saber que tamanho nós temos hoje.

Tom disse...

Obsoletismo Dinâmico - uma explicação primata.
É aquela fase numa situação grupal em que todo mundo se dispõe a fazer algo e de fato nada se faz, é uma forma teatral de dissimular a enrolação ...no final apenas dois acabam cumprindo a tarefa e o resto assina o trabalho, rs.
Deu prá sacá mais ou menos?
Apois antão...

Tom disse...

Fico muito honrado com a proposta de me associar livremente, mas já o faço por aqui.
Me assento, leio e deixo as idéias rolarem sem nenhuma censura - se é que isto é possível- ao escrever neste quadrinho.
Gosto do que leio aqui, do clima do blog, do estofamento e do bicolor alvinegro do divã. Parafraseando o inesquecível Jamelão, me sinto bem como " um pinto no lixo" ....
Se em algum momento algo surgir mais metodizado envio para que a apreciação dos amigos avalie sua publicação, ou não!
Ps; tudo isto é culpa do Borias que me aplicou do blog e depois sumiu, aquela pedante, requintado e imprescindível canalha.

Fabricio e Talismar disse...

para mim grande parte do problema do meio de campo do galo se resume na sua frase "a disputa de posição do Júnior Carioca é com o Lopes (um pouco, também, com o Carlos Alberto) e não com Renan e/ou Márcio Araújo".
Concordo plenamente.

doistoques.org