domingo, 4 de outubro de 2009

Galo no Divã: Atlético MG 2 x 1 Barueri

("Com a roupa encharcada e a alma Repleta de chão Todo artista (Todo Atleticano) tem de ir aonde o povo está Se for assim, assim será Cantando me disfarço e não me canso de viver nem de cantar" Milton.)

Nada como estar perto da massa. Continuando a parafrasear o Milton, "foi nos bailes da vida ou num bar" hehe. Tudo bem que um bar não se compara ao Mineirão, mas o grito da galera é tal e qual. Pra completar, uma chuva danada, de água, vento, fumaça (dos fogos de artifício da galera). Nada com o que também não estejamos acostumados. Afinal, numa tempestade, torcer contra o vento é nosso maior saber-fazer. Pois, com a roupa encharcada não me canso de canso de torcer nem de cantar...
E a tal maturidade...?

Carini: Não sabia porque ele passava mais segurança. Agora sei.
Carlos Alberto: Enquanto estiver na posição errada, não renderá. Seu lugar agora é reserva do Jonílson.
Jorge Luiz: Apesar de estabanado às vezes, tem melhorado na segurança.
Werley: Toda a má atuação do dia se resumiu no lance do gol adversário.
Thiago Feltri: Não anda seguindo os conselhos de treinamento do FEF (hehehe).
Jonílson: Carregou todo o setor defensivo nas costas.
Márcio Araújo: Apagado. Manteve as roubadas de bola, mas não ajudou nas subidas.
Correa: A finesse do toque de bola do Júnior, mas com idade adequada e condição física apropriada.
Evandro: Oscilou bastante. Não foi bem como no último jogo. Próprio de quem não tem muito mais do que isto a oferecer.
(Ricardinho): Poderia ter entrado mais cedo. Não apareceu muito, mas ajudou a reagrupar o meio.
Éder Luís: Estava bem até sofrer a tentativa de homicídio. Fez falta.
(Renteria): Não substituiu à altura das últimas atuações do Éder. Aliás, sequer superou as suas atuações anteriores.
Diego Tardelli: Ocupou espaços importantes, para finalização, marcação e recomposição. Sentiu muito a falta do Éder e às vezes se embolou com o colombiano.

Celso Roth: Em time que está ganhando pode-se mexer também. Demorou um bocado pra por o Ricardinho e não queimou a regra 3. Por quê?

Perdi os primeiros 10 minutos que, pelas ondas do rádio, pareceram ser de pressão semelhante à da pesca à baleia. Não demorou e o gol apareceu. Daí a preocupação. O time relaxou em um momento que não poderia. O adversário não se abateu com o gol e, se até aquele momento ainda não havia feito nada, resolveu partir pra cima. Após (mais) uma bobeada da zaga, restou ao Carini o recurso da falta. Depois, contou com (além da péssima cobrança) seus treinamentos diários - como comentaram que fizera - e a tranquilidade na penalidade máxima. Corrigiu as besteiras da zaga e ainda deu aquele ar de alívio que tanto precisávamos debaixo da meta alvinegra.

A primeira etapa que deveria ter terminado com maior vantagem no placar, quase fechou em desastre. (Aqui em Itabira, o que fechou mesmo foi o tempo).

Na volta do intervalo, os atleticanos demoraram 20 minutos para entrar em campo. Aí valeu a superioridade técnica. Apesar dos esforços, o Barueri nada conseguia fazer. Quando faltavam apenas 10 minutos para o fim do jogo e a tensão já tomava conta dos fanáticos presentes, um bêbado ao meu lado alertou. "Dalí, pode ser qualquer um dos 2. Ricardinho ou Correa. Quem bater faz o gol". Pois não é que o primeiro correu, passou pela bola e deixou o segundo fazer o arremate que estufou as redes? Alívio...

...até os 43, quando Werey 'coroou' seu dia de cão e numa lambança permitiu o chute adversário que diminuiu a vantagem. Final da história... mais 3 pontos.

Algumas estatísticas são legais. Pela TV - o sempre empolgado com a massa alvinegra -Milton Leite lembrou que fechamos o certame de 2008 com 48 pontos. Hoje já estamos com 47.
Como discutir a competência de um time que até aqui passou todo o campeonato entre os melhores? Ando fazendo isso nos GND e, talvez, algumas coisas precisam ser ditas de outra forma.
Em casos individuais, insisto. Falta competência para os laterais (sendo que um nem é de fato) pra cruzamentos. Falta ao armador a competência pra criar boas jogadas. Falta aos atacantes competência para o cabeceio (embora não recebam bons cruzamentos). Falta à uns zagueiros, competência no posicionamento.

Ao treinador, não. Conseguiu uma regularidade há tempos sumida da cidade do galo com um elenco se formando aos trancos e barrancos (em outra estatística, disseream que já foram 41 jogadores utilizados pelo Galo no brasileirão. O time que mais mexeu).

Ao grupo, o que falta mesmo é maturidade. Até quando se está vencendo, é preciso tê-la, para se manter no topo. A postura do time quando sai na frente no placar é incompreensível. Invariavelmente, a produção cai, a concentração vai embora e volta o sufoco. Os adversários já respeitam, mas ainda não temem o Galo. Isto é o que aconteceria se, com este elenco, tivéssemos mais maturidade. O São Paulo, por exemplo, nem de longe é um timaço. Mas o último jogo foi emblemático. Com um a menos e desvantagem no placar, continuaram pra cima. O empate foi o suficiente para fazer com que os pernambucanos tremessem nas bases e entregassem a partida - nesta altura, com 2 expulsões do lado tricolor.
O exemplo, entretanto, foi de um time que vem junto há quase 4 anos, com algumas variações.

Não temos isso ainda. E é por este motivo que apesar de toda euforia, não acredito no título.
Hoje já temos um elenco que pode se dar o luxo de nem relacionar pra partida jogadores como Júnior e Renan Oliveira. Além de aguardar ansiosamente a volta de bons jogadores, como Serginho e Aranha.
A maturidade, que vem com o tempo, poderá chegar em 2010, ano em que o Tom já alertou há tempos que será aquele onde de fato teremos um time em condições de brigar.

** Será que a maturidade está chegando também na torcida? Esta, mais uma vez entendeu que as vaias são para o adversário!
(Hoje falei demais... coisas da empolgação!)

10 comentários:

Tom disse...

Time e treinador ainda claudicantes.
Um é reflexo do outro e o outro é reflexo do um.
Por pouco,nao veríamos de novo e novamente antigos filmes de terror.
Segurança por enquanto apenas na diretoria.
"Garremos" pois no hino: " lutar, lutar, lutar....."

Tom disse...

MATURIDADE:
acho este papo do Roth falacioso: um time que tem Carine, C. Alberto, Jorge Luis, Correa, Jonilson, Junior, Coelho e outros nem tão verdinhos assim como Eder Luis, Tardelli, Renteria não dá o direito do treinador falar em imaturidade.
Penso q falta é o equilíbrio tão decantado pelo Roth, mas não o técnico ou tático e sim o emocional, o de postura dentro e fora de casa.

Gus Martins disse...

Pois é nesse sentido mesmo, emocional, que os acho imaturos demais.
Com bastante estrada rodada do futebol, ainda não amadureceram o suficiente para serem campeões. Só chutar bola não adianta... emocionalmente é preciso muito mais...

Tom disse...

Um treinador inseguro passa insegurança, e a insegurança do Roth é patente, por mais q ele tente dissimula-la.
Ele até teve um bom resultado depois dos cursos que fez no Actor's Studio , mas ela é ainda é flagrante .

Gus Martins disse...

É, o Juarez deu uma evoluída em relação a outros tempos, tanto que tive que engolir a minha tremenda insatisfação de quando foi contratado.

Mas é verdade também que falta muuuuuuuuuito para que ele se coloque como um grande vencedor, para que seu time também o seja.

Herberth Mendes disse...

Ao vivo e em preto e branco. Como alguém já disse antes em algum lugar, "tem jogo pra jogar e tem jogo pra ganhar", esse foi o do segundo tipo. Dei sorte, assisti o jogo próximo ao gol onde Carini defendeu o penalty e o Galo marcou o segundo (deu pra ver até onde a bola bateu na rede). Jogo difícil, feio, nervoso e sofrido (como fala o Jason, jogo típico do Galo), com aquela impressão de que o gol do adversário pode sair a qualquer momento. O Galo começou bem, com algumas triangulações bem feitas no ataque. Perdeu o meio de campo depois dos 20 do primeiro tempo (e também no segundo tempo), com isso o Barueri chegou algumas vezes com perigo, fazendo boas tabelas e ficando na cara do Carini. Perdemos também muitas bolas em passes errados (na minha opinião o maior problema ontem) no ataque e no meio, o que deixou os zagueiros no aperto. Mas os abelhas não conseguiram aproveitar as chances, ficavam rondando a área e não arrematavam. Quando recuperavámos bolas na defesa e íamos ao ataque faltava aquele famoso último passe. Correa teve boa presença, Éder fez muita falta ao time (tamo fu sem ele na quinta), Carini realmente passa confiança, esse Jorge Luiz me lembra o Welton F.(nas coisa boas e ruins), Feltri (continuo gostando dele, mas precisa de um Telê em sua carreira) não consegue cruzar, mas mostrou muita gana e Renteria foi só correria e estabanamento. Ainda bem que o juiz deu a falta no Tadelli, que foi decisivo nos gols mas já tinha até tropeçado na bola no lance. A torcida não vaiou, mas ameaçou, pediu a tal "raça" (ô troço enjoado) e ficou muda em vários momentos. Confesso que eu perdi a paciência com a lerdeza do Roth em mexer no time. No mais, 3 pontos pro Galo e pra mim (he he). Obs: não sei o que é mais chato, quem assiste o jogo em pé ou quem fica gritando senta o tempo todo.

Afonso Pena¹³ disse...

1º tempo, desenvolvemos FUTEBOL, e não resultado.....mtas chances perdidas na frente e erros ridículos atrás.


2º Tempo, desenvolvemos RESULTADO, e não futebol....mtas chances perdidas na frente e erros bizarros atrás idem.

Mais 3 pontos, mais tranqüilidade...e que venha o Malandro carioca.



Carini: O Cisplatino!. Fez uma boa partida, catou penal (mtu mal batido, pelo menos deu essa impressão frontal do 9, ainda n vi pela tv) e tudo mais, porém ainda prefiro esperar mais um pouco, muito cedo pra tirar conclusões creio eu...
Carlos Alberto: A RAÇA ATLETICANA, mas ainda prefiro o Coelho...
Jorge Luiz: Excelente postura nos 2 tempos, um errinho ali e acola, mas nada de muito comprometedor..
Werley: Toda a má atuação do dia se resumiu no lance do gol adversário[VERDADE], mas é exatamente nesses momentos, que se diferencia um bom jogador de um contrário, erro INFANTIL e inadmissível , xinguei ele d+.. .
Thiago Feltri: caiu muito de produção desde que ‘’voltou’’...se continuar assim, vai acabar esquentando banquinho.
Jonílson: Brilhante, jogando seu pão com manteiga, e bola pro mato que o jogo é de campeonato!
Márcio Araújo: Mais informou do q jogou, não sei se o cérebro dele consegue assimilar 2 funções (jogar e liderar) ao mesmo tempo.
Correa: um Zidane sem marketing.
Evandro: CÂNCER
(Ricardinho): Apagado.
Éder Luís: Excelente atuação, tem corrido como ninguém nos últimos jogos, atleta espirituoso.
(Renteria): Apagado.
Diego Tardelli: Movimentação rápida, jogadas de efeito, GOL....mas ainda continua errando muitos passes.

Celso Roth: Perfeito.

Borusso disse...

Endosso tudo o que vocês salientaram!

E tô c/ 1 ódio mortal do Xandão!

Breno disse...

Esse jogo foi alá Caviá, so ouvi falar. Mas quanto a foto Gus, acho que foi uma forma de comprimentar a Galoucura, pois o mascote Piolho é daquele jeito. Outro que fez isso foi Claiton Xavier do Palmeiras.

Breno disse...

E o Kleber também ao se apresentar para torcida... rs