segunda-feira, 16 de maio de 2011

Por quê?

O Galo mais uma vez não conseguiu ganhar o título que consta apenas como obgrigação, pelo fato de ter somente um concorrente e ser este o maior rival. Mas, por quê? (perguntaria assim o chorão - mas vencedor - Jose Mourinho)

Não foi porque
o Magno Alves perdeu um gol cara a cara com o goleiro aos 20 do segundo tempo ou;
o Mancini falou mais do que jogou ou;
o empolgado Bernard perdeu lugar pro zumbi Renan Oliveira ou;
o Patric voltou ao estado normal de capacidade limitada ou;
o Guilherme se machucou quando o adversário ia bem ou;
o Serginho não foi tão brilhante quanto no primeiro jogo ou;
o Cruzeiro FOI melhor ou;
o Cruzeiro É melhor ou;
o Berola ficou de fora por tomar um cartão imbecil ou;
a postura construída a duras penas com o time reformulado não apareceu na final ou;
o time perdeu todos os centro-avantes no começo do ano ou;
a história dos meias "demitidos" reflete uma relação ainda muito insegura ou;
as relações de trabalho são na verdade um tanto quanto amadoras ou;
a administração do futebol parece ser feita da arquibancada por um fanático e não um presidente ou;
as contratações questionáveis foram postas a prova ou;
os juizes roubaram (porque não roubaram) ou;
a torcida se iludiu com um time achando que era o melhor ou;
a imprensa quis criar a fantasia de que o Galo era um time bom ou;
foi uma fatalidade.

Não foi.
Foi a tão esperada realidade que enfim chegou, na hora que menos desejávamos. Foi no momento derradeiro em que o Galo, que começou a perder o campeonato antes mesmo de ele começar, encontrou unidas em um único jogo todas as contingências acima.

Aquilo que vem de fora do campo, refletiu lá dentro. Aquilo que já estava lá, se tornou obstáculo.
Um time que custou a dar conta de si mesmo, não poderia - senão por incrível esforço de superação - prevalecer sobre o outro.
Um clube que não dá conta do óbvio, não superaria o imponderável.

60 comentários:

Jason Urias disse...

É. E parece que que o destino quer que a derrota seja mesmo encarada como lição. Porque eu acho, se verdade, que aquele `gol` do Magnata mudaria as coisas.

De resto, totalmente de acordo. E acho muito bom. Essa tendência alvinegra de se afastar da realidade não ajuda não. Ela, a realidade, alvinegra que é, por contra própria se esbofeteia toda nas caras galísticas.

Já passou da hora, gus, do Galo deixar essa de superação como principal recurso.

A realidade (de novo) tem mostrado repetidas vezes que o que interessa, mesmo, é consistência. De trabalho, de filosofia e de um monte de outras coisas que têm nos faltado há um tempão.

elianA disse...

O Galo não foi campeão por todas essas razões, mas, como já tivemos muitas lições e não aprendemos, não dá pra encarar a derrota como choque de realidade, assim como não poderíamos considerar uma vitória como ilusão. Eu posso encarar a ressaca, mas que ela venha da satisfação de ter enchido a cara.

Gus Martins disse...

Jason, eu acho também que o gol poderia ter mudado, mas dei o exemplo da perda do gol do neymar. Não fez diferença porque lá tinha 2 times querendo jogar. Aqui, só um.

Eliana, concordo, mas não me incluo (e nem o público do FEF) nesses para quem desejo que a realidade tenha chegado. Pra mim, o choque já veio desde que me entendi como atleticano, apaixonado por um time que vencer, vencer, vencer é apenas o ideal.
Mas talvez, em mais um leve suspiro de esperança, torço pra que a realidade caia na cabeça dos jogadores e diretoria. Na massa, já desisti.

Jason Urias disse...

Esta derrota não foi um choque de realidade, Eliana. Foi a própria em si.

O grande problema é que muitos insistem em ignorá-la (as vezes gente que não poderia, de jeito nenhum, esnobá-la, como o gus falô aí), mas ela simplesmente dá na cara, uai.

# Carliinha disse...

Já passou da hora da superação ser o nosso principal recurso, falou e disse Jason.
Como boa atleticana, aprendi desde cedo que a esperança só não é maior que o amor. E falando em nome dessa:
Eu levei algumas décadas pra ver esse Galo nosso de todo dia aprender a tocar, eu espero mais alguns anos, se Deus quiser no máximo, a se equilibrar. Desde a sala presidencial as quatro linhas.
E por mas bobagens que eu fale, eu sempre apostei nos nossos garotos,desde muito antes desses guriozinhos ganharem a primeira chuteira. Não podemos culpa-los ainda pela falta de vivencia, faltou sim, um 'Ricardinho' pra saber controlar a molecada e o Neto, de novo, pra aterrorizar e deixa-las mais descontroladas... no mais, esperança caros colegas, que não será nossa última decepção.

Tom disse...

Algumas décadas #Carlinha?
Que horror.......pareceu-me uma sexagenária......ou seria uma quarentona? rsrsrsrsrsrsrs

Tom disse...

Enfim nós Atleticanos precisamos é de saúde!

Fredy7L disse...

O mais interessante foi a grande festa das marias - principalmente diretoria - com o TÍTULO!! (em letras garrafais mesmo) - prá quem antigamente disse que não valia nada, que era campeonato rural é uma grande transformação.
Quanto a realidade, galera já convivemos com ela já faz alguns anos, mas tem gente até hoje que não caiu na real - agora vamos para as 38 rodadas do brasileiro e vamo ver o bicho que vai dar.

Jason Urias disse...

Reparei nisso tb, Fredy7L...

Gus Martins disse...

Alguma utilidade tinha que ter os fogos em que o Renteria jogou água né

Tom disse...

O peixe morre é pela boca não? e no caso nem peixe é....

# Carliinha disse...

Olha o Tom roubando minha frase e a galera ficando sem palavras...

Tom disse...

Qual frase #carlinha?

elianA disse...

Essa comemoração toda não tem a ver com a importância do título em si, mas do adversário. No Rio ou em São Paulo, ganha-se de vários, aí a rixa fica diluída, em Minas, Rio Grande do Sul, no caso deste ano, o derrotado foi justamente o maior rival. Agora, vê-las comemorando tanto o Rural, pra quem se julga nos níveis dos grandes da Europa, não deixa de ser risível, afinal, têm tido muitas chances de ganhar algo maior. Outra coisa que causa espanto é a empáfia de dizer que conquistar o brasileiro é obrigação, como se fossem o próprio Barcelona disputando um campeonato chinês.

# Carliinha disse...

"Peixe morre pela boca", Tom.

Cá entre nós, elas comemorando tanto o rural, depois de tantas decepções, me faz refletir sobre o que é ser um time grande: um que se mantém estável, medianamente, ou aquele que vai do inferno ao céu?!
Independente da resposta, elas tão se comportando como time pequeno. Com certeza o que contou foi a situação, mas estavam tão descontroladas que não se deram conta disso e comemoram o título em si.

Borusso disse...

Bacana demais a reflexão proposta! Dos itens que o Gus listou, pelo menos 8 são associados às lambanças do Alexandre Kalil e Eduardo Maluf.

Queria puxar tb os destaques da Carlinha e Jason:

* tira alguém do quilate do Ricardinho, que saberia controlar, como ela observou; e não repõe?

* superação o Coelho tem mostrado + do q nós no últ. triênio. Eu o colocaria como concorrente ao título MG do Ano II pra cá. Eles esbarram na falta d technica, e dfndo ter sido aí q pagamos um orangotango nesta Final...

A inconsistência kaliliana realmente o leva a ter um desempenho de Ziza Valadares.

Borusso disse...

Eliana, se isso é empáfia o CAM tem que ser empafioso tb.

Melhor CT do Brasil, oceanos de dinheiro colocados pelo Ricardo Guimarães, a cada ano a Tv aumenta sua oferta...

Alô, Kalil: - Não é imprudência sua montar um elenco tão bisonho q é esculachado na 2ª fase da Copa Kia?

Tom disse...

Menos Boris.....menos....
Sem Ricardinho ficamos lépidos e leves.
O Galo nunca foi time de toque de bola.
Nosso DNA sempre foi outro.
Estamos "amargados" com esta derrota, mas "ponderemo- nos";
o estilo de jogo q o DJ deseja e desenha começou e pode a ser esboçado apenas contra o América de T Otoni.
Contra o Coelho até p surpresa minha ele ficou mais nítido.
Na primeira partida da final mantivemos a coerência.
Na decisiva mascou.
Não o estilo, mas justamente a sua ausência.
Encolhemo-nos por inúmeras razões.
Por fim e de toda forma ainda prefiro o vexame Kaliniano.

Tom disse...

Hoje sou pragmático, o problema pior será esta "primeira estréia", pq teremos várias estréias do Galo ao longo do Nacional.
Sábado tudo indica para uma formação de time bem diferente , por força de lei e tb de estaleiro.
Quem entrará?
Ideal seria estrear apenas o Guilherme Popozudo com a dez.

Tom disse...

VEJAM A ESCALAÇÃO DOS TIMES NA FINAL CONTRA O SÃO PAULO .

ESCALAÇÃO - SÃO PAULO

VALDIR PEREZ

GETÚLIO

TECÃO

BEZERRA

ANTENOR

CHICÃO

TEODORO

DARIO PEREIRA

VIANA

MIRANDINHA

ZÉ SERGIO

ESCALAÇÃO - GALO

JÃO LEITE

ALVES

MARCIO

VANTUIR

VALDEMIR

TONINHO CEREZO

ANGELO

SERGINHO

MARCELO

CAIO CAMBALHOTA

ZIZA

FOI UM JOGO DE HOMENS CONTRA MENINOS.

Borusso disse...

"Sem Ricardinho ficamos lépidos e leves.
O Galo nunca foi time de toque de bola."


Uai, Tom, se fosse assim teria surgido mó gritaria pela saída dele, há 20 meses.

Corinthians é time de toque de bola? Desde qdo? E olha o tmpão q o Grecim 2000 ficou lá.

C/ Ricardinho fomos Campeões Estaduais.
S/ ele fomos Vices. Legal ¬¬ né?

Borusso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Borusso disse...

Pensei q nosso DNA fosse ter ojeriza a ser vice, pela fúria e inconformismo c/ a derrota.
E não perder pro time do Cuca.

Lépidos e leves soa como alguém cortando nossas bolas.
Prefiro jgar e torcer plúmbeo.

Daniel Martins disse...

Estava sem saber o que postar, não por tristeza, apenas reflexão e raciocínio. Após uns dias sem manifestar, apenas digo: de acordo com os porquês. Agora é seguir em frente e corrigir, ou não...

Triste... http://is.gd/S4H5oC
Sou da opinião que jogador, pra voltar a jogar, tem que jogar :| confuso, mas chá de banco(ou nem isso), não vai recuperar o chará.
Acho que quase totalidade dos jogadores de futebol o são porque gostam de jogar... Dorival deveria ter usado o mineiro pra testar essa peça...

Tom disse...

Boris, acalmai-vos amigão.
Talvez pq façamos parte de gerações diferentes isto concorra para idealizações diversas do que gostaríamos que fosse a performance do time do Galo.
O Ricardinho do Coríntians na época seria ideal para o Galo.
O Ricardinho do Galo não era mais o do Corintians e nem o futebol de hoje é igual aquele q era praticado na época.
Fomos campeões com ele sim , disputando a final contra quem?
Fomos campeões mais pelo destino do que pela bola.
Chato ter de falar isto.
Me baseio Boris no q até hoje pude ver o q identifiquei como estilos de jogo mais sintonizados com a massa. Defesa forte, meio campo pegador e atacantes leves , rápidos , explosivos.
Dario er pesado mas conjugava força, explosão com agilidade e rapidez.
O Galo nunca foi moldado dentro do estilo academia. Nem nos nossos anos de ouro com Cerezo de maestro.
O lançamento de prima para Eder ou para o Rei são a prova disto.
Em 71 o time jogava fechado e saindo com velocidade através do Lola que era de uma habilidade incomum , mas era outro futebol de pontas abertos e centroavante centralizado.
O nosso perfil sempre foi de um time aguerrido , emocional e explosivo.
Nos últimos 20 anos pouco a pouco fomos perdendo esta identidade por vários motivos.
Hoje vejo o Galo com um espírito futebolistico aculturado.
Não consegue mais ser o q era e nem sabe mais com clareza o que é.
Quem mais se aproximou deste resgate foi o Leão em sua penúltima passagem no Galo, com um time com Danilinho e Marinho no ataque.
Não sei se me fiz entender desta vez. Espero que sim.
Daniel, concordo totalmente com suas observações. Parece q o DJ não vê mais utilidade em investir nele, prefere o R. Oliveira que tb não marca ninguém. Vá entender.....

# Carliinha disse...

Me perguntei por você agora...
E bons os pontos levantados, o Mineiro pra variar levado mais a sério do que devia(não tão ao pé da letra,eu sou bem confusa mas espero que entendam). Era a época de testar times, não só posições.
Agora começa a ladainha de novo de perder pontos decisivos em vão.
Não é um jogo ou outro importante, são todos decisivos. Mas se o Galo não se ater a concepção, estará novamente a beira do abismo

# Carliinha disse...

Devo assumir ao título de sofredora por não ter pego 'o futebol de verdade'? Pelo menos posso dizer que me orgulho de alguma equipe atleticana que vi jogar. Ao menos uma.

Ah, e eu me perguntava pelo Daniel, mas o post d Tom saiu antes....

Tom disse...

Precisamos não só de um time, mas de um padrão e estilo de jogo q parecia estar sendo implantado até esta derrota e espero q continue sendo.
Curioso é q o Leão e tb o Dorival tem mais referencia do que sempre foi o Galo do q os jogadores
(mesmo os prata da casa) q estão lá.

Daniel Martins disse...

Comecei a torcer pelo galo em 2008, Tom, nunca tive interesse em assistir futebol(mas adorava jogar \o\), curioso é que meu pai é cruzeirense/flamenguista, que também nem é tão chegado em futebol, mas no fatídico ano do centenário atleticano, eu ia pouco a pouco tendo interesse pelo galo. Hoje.. parece uma doença, das boas, sei lá \o\

O Dorival é bom técnico, tem um padrão de jogo que eu particularmente gosto, e que é primordial na remontagem de um time. Não adianta encher de 'estrelas' um time "ideologicamente" fraco. É com os jogadores da base, na raça, aliado a uma pequena mistura de técnica e experiência(mais ou menos no modelo que temos hoje, somando um pouco mais de qualidade técnica), que pode estar o caminho.

Tom disse...

"Não adianta encher de 'estrelas' um time "ideologicamente" fraco" BY Daniel

Fredy7L disse...

Então que se mantenha a base para o time ter alma e depois enxertar jogadores decisivos, que resolvem, que fariam diferente do magno alves no ultimo jogo heheheh.

Realmente concordo com vocês, o Galo perdeu sua identidade, creio que uma volta às raízes, com mais jogadores da base pode sim dar resultado, só que precisamos de paciência, e que falta a nossa torcida.

Fredy7L disse...

em tempo...
já foi feito o arbitral do torneio de pitacos?

Tom disse...

"arbitral do torneio de pitacos" foi pra lá de excelente Fredy.
Daniel, p vc ver q o espírito Atleticano não precisa de tempo cronológico para se manifestar.
Filho de pai totalmente adverso clubisticamente falando o seu lugar seria aqui mesmo, nos Atleticanos Freudianos.... explica?
Abração em P & B.

Gus Martins disse...

Fredy e demais FEFianos, podem aguardar, o Pitacos sairá em tempo hábil pra começarmos bem o brasileirão!

Tom disse...

Gus , repita a formula utilizada naqueles Pitacos q vc fez aquelas previsões acertadamente sinistras , foi na era Roth.

Jason Urias disse...

daqui a pouco o pitacos estará no ar.

Tom disse...

Ôpa, cara nova, mas ficou muito, mais muito melhor de bão.
Agora vai!

Tom disse...

Aproveitando de novo e novamente peço pra anexarem o " de-legado Kalil" no arquivo das Associações Livre ok?

Daniel Martins disse...

Bonito o novo visual, de fato. Mas sou do tipo que gosto das coisas pelo costume em usá-las... Vou demorar um tanto a acostumar xD

Ainda acho que uma pré-pitacada no mineiro seria uma boa; à espera da volta de Dinorah =D

# Carliinha disse...

Nossa, estou tão perdida com esses Dinah e Dinorah, vou ficar quieta que é melhor...

Mas esse visual, por um momento achei que tava no lugar errado...
"Sou do tipo que gosto das coisas pelo costume em usá-las... Vou demorar um tanto a acostumar." By Daniel

Tom disse...

Dinah são os palpites normais.
Dinorah é pra quem acerta um fato ou pitaco mais inusitado , mais surreal.
Tá certo isto Jason e Gus ?

Gus Martins disse...

É isso ae, Tom.
Embora a verdadeira Mãe Dinah seja tão surreal quanto nossa fictícia Dinorah.

Confesso que tenho um apreço especial por aquele design antigo, inusitado, retrô talvez. Mas precisávamos de uma cara menos freud e mais Galo como marca de entrada.
E não terminamos. Em breve haverá boas surpresas.

Tom disse...

Ôpa! ficou bacana, aquele estado crítico de emputecimento como corpo da chamada me incomodava.
Só tá faltando o "E" em Lúcidos E Insanos.
Confere?

# Carliinha disse...

Vocês são rápidos...
E muito obrigada pelos esclarecimentos, agora vou ficar ansiosa pelas próximas surpresas.

Deixa eu compartilha um momento muito feliz com você, e completamente inusitado, agorinha, do nada - na verdade entre eletros - começou a tocar o hino do glorioso. Estranho, porque foi no fã clube que tem aqui do lado do flamerda

Ou simplesmente me ignorem xD

Daniel Martins disse...

Novos uniformes D: http://is.gd/73MMxf
não achei muito bonito, bom pra parecer mais magro ao menos...
Pelo menos a qualidade parece melhor, a do ano passado me parecia duvidosa...

Eu poderia simplesmente te ignorar, ou não, carlinha, mas fiquei curioso D: (e meu processo cognitivo falhou, devido ao horário) como foi? ._.

elianA disse...

Gostei dos novos uniformes: do Galo e do FEF, ficou mais original, tem muito blog por aí com a cara igual à anterior. E, Carlinha, também fico animada quando ouço a molecada aqui da rua gritar Galo. Podemos ser menos, mas, enquanto formos mais, há esperança, se é que me fiz entender.

Borusso disse...

[:)]Que nada, Tom, o q dfendi foi teclado c/ bastante calma, embora eu goste de fk perto do ECE q o FEF menciona.
E c/ base nisso mantenho a posição, alinhado ao q o Jason levantara, de consistência de trabalho, filosofia e otros q imo o Kalil não tem seguido à frente do Galo.

Longe de mim qerer agredir a natureza do club, posso ter dado essa impressao tb... No entanto acho importante o time fk perto das raízes dele, por assim dz.

O q não xclui se reforçar com centro-campistas hábeis, q cadenciem e joguem d kbç erguida.

Borusso disse...

"O Ricardinho do Coríntians na época seria ideal para o Galo.
O Ricardinho do Galo não era mais o do Corintians"

Uai, então sua restrição não é ao stilo de jgo dele.
E sim à forma física ou technica, talvez?

"...e nem o futebol de hoje é igual aquele q era praticado na época."
Por mudanças q nos últ. 12 anos tenha havido; ao escalar o ½-campo o treinador ainda nao se depara c/ a escolha entre um atleta q saiba cadenciar na hr certa, faça a bola rodar; e otro q imprima + intenso ritmo e verticalize?

Tb gostei do q o Martins xpôs. Ele foi na mosca ao apontar como "time ideologicamente fraco"! Estranho o Carvalho ser reserva assim.

Borusso disse...

" o Galo perdeu sua identidade, creio que uma volta às raízes, com mais jogadores da base pode sim dar resultado, só que precisamos de paciência, e que falta a nossa torcida."
Tb penso assim, Fredy. O Luxa é ótimo treinador, só q o Kalil errou grotescamente ao dar carta-bcª a ele.
Foi aí uma das vzes em q o Alexandre nao teve paciência e como apontou o Gus, agiu como fanático da arqbcda.

elianA disse...

Eu não estranhei muito a ausência do Daniel Carvalho, lendo um infográfico do Estado de Minas, ele ficou a maior parte do tempo no DM que em campo, tendo marcado apenas 2 gols nas poucas vezes que jogou. Além disso, segundo li não me lembro onde, um desses reporteres da Itatiaia teria soltado os cachorros sobre ele ser baladeiro e tudo o mais. Outra coisa que tenho reparado é que a maioria dos repatriados tem chegado bichada nos clubes daqui, vide Adriano, Luiz Fabiano, Sóbis, Deco, Fred...

elianA disse...

Usei a expressão 'repatriados', mas devo confessar qua a atual linguagem do futebol tá me dando ogerija, é um tal de repatriado, jovem promessa, sem contar essa mania de usar a primeira letra do nome seguida do número do jogador.

Tom disse...

Boris , na época do corintians o Grecin se encaixaria sim dada a cadencia do futebol da época. Hoje já em idade avançada ele não cadenciava mas travava.
Porém, o problema fundamental q vejo é q já tivemos tudo isto algum dia Boris, jogadores hábeis, rápidos e q na hora necessária sabiam cadenciar, esfriar o jogo.
O q reitero é : ao loingo destes mais de 20 anos o Galo foi se aculturando, perdendo a identidade e ví no Dorival esta possibilidade de promover esta re-identificação com nossas origens q descreví antes.

Tom disse...

O q a Eliana se queixou eu concordo prinipalmente nas abreviaturas.
Sou da época do Tião, do Juca Show, Alberto Leguelé, enfim nomes humanos e não digitos.

Borusso disse...

Bah, não consigo ver assim, Tom, o Atlético de 99, que decidiu a Série A enfrentando o Ricardo; não jogava c/ as mesmas xplosão, leveza e rapidez da eqp atual?

Na posição dele a correria não influi tanto. É uma peculiaridade q remete ao vinho alg. vzes.
O q não obriga a colocar um ½-campista de 35 anos, se trouxer um armador craque de 26, bão também. Desde q reponha.

Hum...è vero, Tom, já tivemos tudo isto, repertório q entre otras coisas levaram o Carijó a ser um club gde.
Nosso treinador é inteligente, qero q ele continue. E por ele sê-lo, a culpa dele é maior. Mesma coisa c/ o presidente e o diretor.

Tal trio sabia da nossa perda de ID, e começou apenas na Semi do Estadual a corrigir algo q na maior parte dos times [:o] está pronta em Fevereiro... Terão as xtravagâncias da LaundroGuima tido prioridade?

Borusso disse...

Neste ano, pelo q acompanhei, o Daniel Carvalho já estava livre do DM e pronto p/ jgar.
O hiato dele soa como birra do Bob De Niro vespasianense.

Na €uropa treina-se menos, pelas condições do clima, tout court.

Borusso disse...

Sobre otras observações que tu fizeste, Tom, é que foi uma reflexão um pco mais longa. Agora notei melhor.
"Fomos campeões com ele sim , disputando a final contra quem?"
Contra o Ipatinga.
"Fomos campeões mais pelo destino do que pela bola."
Aí a gnt ñ se prende a um mórbido determinismo ou fatalismo?

Tom disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tom disse...

Não Boris, citei um dado de realidade.

Gus Martins disse...

Nuuu! Não é que esse post despretensioso rendeu heim!
Tom, dessa vez não esqueci da associação livre. Mas como eu tinha falado, ia esperar a mudança da cara do blog pra colocar.
Esses dias ele entra no ar!

Tom disse...

Agora vai ? hehe....
Assim espero Gus