quinta-feira, 1 de abril de 2010

Saco cheio uma hora estoura

("Diz que deu, diz que Deus, diz que Deus dará, Não vou duvidar,ô nega e se Deus não dá, como é que vai ficar, ô nega?")


Istro dia Eliana perguntou se não comentaríamos sobre os boatos em torno do Wagner. Respondi que teria um tópico mais ou menos sobre isto.

Em anos passados, sofremos um tanto com excesso de contratações, na maioria das vezes erradas, fora de hora - sem planejamento, sem nexo nem nada. Mais ou menos 30 por ano. (Tá, não sei precisamente os números por ano e to com preguiça de conferir exatamente. Mas vai por aí. Quem não se lembra do Lopes tigrão, Souza bichado, Jamelli (!!!!)...

No ano passado a coisa nem foi assim tão escandalosa, mas vivíamos contratando alguém pra resolver algo que não deu certo na época do "planejamento".

E esse ano? Estamos vendo as coisas de maneira diferente ou só uma máscara do mesmo?

Pensemos:
- Trouxemos dois grandes zagueiros, "resolvemos" o problema do setor e despachamos um... WF.

- Trouxemos um bom atacante e uma incógnita 'melhor que Eto'o'. Os dois têm dado resultado até aqui (lembrando que os adversários não nos permitem concluir nada). Fato é que dispensamos certas figuras que davam dó quando entravam em campo.

- Carência nas laterais. Coelho e Leandro irregulares, Júnior não aguenta o batente, Sheslon mudou de nome e virou(?) zagueiro na cabeça do fexô. E o que veio? Já fez algo?

- Com os volantes, o caminho foi mais ou menos o mesmo: Repatriamos Zé Luis, que andou fazendo algumas boas partidas e no pacote do Fexô veio o Genrão, que num dia vai bem, noutro não. Mas são melhores que Renan (credo!). Problema resolvido?

- No gol a situação é grave. Os que vieram no ano passado - e naquela época se deram até bem - hoje nos preocupam. Trazemos um outro extremamente duvidoso e temos um jovem de seleção. Será que alguém vai cascar o fora nesta aí?

- E os armadores? Crise geral... O Camisa 10 do ano passado não vingou, mas também não é uma peça facilmente dispensável. Aguardamos o término do semestre para a chegada do Mendez. Será que é isto que o Fexô tá esperando para expurgar de vez o Evandro? A propósito, a história do Wagner parece ser boato, como disseram. O que não significa muita coisa, claro. Mas, seria uma boa?

Pois é pessoal, parece que o elenco não tende a ficar inchado, como outrora. Entra um pra posição, sai outro (geralmente o que chega é melhor, felizmente).
Contudo, mais uma vez não resolvemos o problema do planejamento. Continua limitado à incompetência e muitas vezes ligado aos cifrões.
Enfim, corrigindo alguns erros e persistindo noutros, será que este ano teremos uma equipe mais digna?

("Que eu já to de saco cheio" Chico)

7 comentários:

Breno disse...

Pois é Gus,

Recordando, foram 12 pontos ano passado só pela ausência de um goleiro de verdade... Duvido que não vão arrepiar ao lembrarem de Juninho/Édson.

Problema do gol sanada? Longe disso... Fato que não utilizamos o Regional para testes... O Ribeiro poderia sim jogar um jogo.

Concordo Gus, quando friza sobre as cartas novas que vieram e por ora estão se encaixando... Mas ainda espero que venham as cartas certas e possamos fazer um "Royal Flush"

Qnato ao Wágner, ainda espero da confirmação desse boato para arguir, mas já antecedo que no geral não fomos muitos felizes em contratações de jogadores do lado de lá.

Amplexos,

Jason Urias disse...

Apesar de não querer ver o Wagner com a camisa do Galo (se bem que a rosa lhe cairia bem...), ele é um bom jogador, que alterna bons e maus momentos.

Lembro que qdo ele estava no américa, eu torcia muito pra diretoria contratá-lo, junto com o Fred.

eliana disse...

Acho que não será desta vez que teremos uma equipe digna, falta planejamento, deixamos pra ir à feira no final do dia, daí só encontramos refugo, ou seja estamos contratando a toque de caixa, fora do período adequado, aí, o preço pode até estar mais em conta, mas a qualidade...
Voto no Anastasia pra presidente... do Galo.

Rodrigo disse...

No início, tinha dúvida se o time jogava mal quando o Wagner jogava mal ou, como fui confirmar depois de 3 anos, se ele jogava mal quando o time jogava mal e, com o time bem, tinha a sua mediocridade elevada ao status de um bom jogador. E ainda tem o problema de excesso de lesões. 6 milhões foi um ótimo negócio.

Mas talvez o Cruzeiro (e o Barça, hehe) possa servir de exemplo para mostrar que dá pra ter um bom time sem um armador "clássico", do tipo camisa 10. Volantes e laterais rápidos, com bom toque de bola, fazem bem o trabalho.

Herberth Mendes disse...

Planejamento no Galo acompanha as mudanças de humor do Kalil he he.

Já que o rodrigo falou no Barça, que sorte hein Gus! Ontem a caixinha do Arsenal quase enche...he he!

Afonso Pena¹³ disse...

Sinceramente?

Acho uma ÓTIMA.

Tom disse...

É um fresco! Não tem cara de jogador do Galo, nem com o advento da camisa rosa.